Justiça concede habeas corpus e bombeiros serão soltos

Bombeiros-protesto-niteroi-20110609-size-598

A Justiça do Rio de Janeiro concedeu nesta madrugada um habeas corpus para soltar os 439 bombeiros presos após a invasão do quartel central da corporação. Eles invadiram o local durante uma manifestação por melhores condições de trabalho, há uma semana. Os bombeiros exigem imediata elevação do piso salarial da corporação de 1.187 reais para 2000 reais. O habeas corpus foi dado pelo desembargador Claudio Brandão, do Tribunal de Justiça do Rio, e anunciado no final da manhã por uma comissão de deputados federais.

Foi a segunda vitória do movimento em menos de 24 horas. Nesta quinta-feira, o governo estadual decidiu antecipar para julho o reajuste que seria escalonado até dezembro pelo plano de recomposição salarial da categoria e anunciou a criação da secretaria de Defesa Civil, que tem como titular o comandante geral do Corpo de Bombeiros, Sérgio Simões. O comandante, nomeado no último sábado, manteve desde que assumiu uma postura conciliadora. Na tentativa de conter a radicalização do movimento, que chegou ao auge na invasão do QG, Simões pediu um voto de confiança e apelou pela volta à normalidade.

Em sua primeira entrevista, na tarde de ontem, mandou um recado claro sobre a prisão dos 439 bombeiros. “A normalidade a que me refiro é ter o quanto antes a solução para esses profissionais que estão presos. É claro que esses homens são necessários à tropa, são bons profissionais, e a volta deles será muito oportuna", disse. Ao mesmo tempo, deixo claro que a antecipação de 5,75% foi uma clara demonstração do governo de que é necessário repor o poder aquisitivo da corporação, mas é o possível no momento.

Até o momento, a antecipação do reajuste só vale para este ano. A partir de 2012, volta o programa atual de reposição, de 1% ao mês. Com a antecipação, o salário de um soldado que ingressa hoje, sem dependentes, passa de 1.187 reais para 1.265 reais, o que objetivamente muda muito pouco a situação. Por isso, Simões disse que vai verificar junto à secretaria de Planejamento se existem alternativas de valores ou prazos que se traduzam em ganhos mais palpáveis.

O movimento jogou o governo Sérgio Cabral em situação delicada. Há uma semana bombeiros e familiares ocupam as escadarias da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, e ganharam o apoio de atores da novela Morde e Assopra, que lançaram a campanha “Rio Vermelho”, pedindo que a população use fitas vermelhas em solidariedade aos bombeiros e convocando uma manifestação para o domingo, em Copacabana.

Fonte:veja



Publicidade


Outras Notícias


Novas suspeitas de obras superfaturadas em Presidente Kennedy

Santos Rodrigo e Salomão - Sacerdotes mártires

Veículo com marcas de tiros é encontrado abandonado em bairro de Cachoeiro

Soldados do Exército chegam à Cachoeiro e já atuam em pontos estratégicos

Sesa atualiza dados de febre amarela

ProUni: estudantes capixabas ganham mais prazo para apresentar documentos

Fespes vai denunciar Estado Brasileiro a entidades internacionais de direitos humanos pelo caos no ES

Procurador-geral da República vem ao Estado para dar aval à 'reforma da PM'

Governo abre processo contra 703 militares envolvidos em ‘revolta armada’

Famílias de militares seguem irredutíveis na porta dos batalhões

Nossa Senhora de Lourdes

São Miguel Febres - Padroeiro dos pedagogos

Atenção! Excesso de peso na mochila pode prejudicar saúde das crianças

Peritos aceleram liberação de cadáveres para receber mais corpos no DML

ARENA VERÃO 2017 COMEÇA NESTE FINAL DE SEMANA EM MARATAÍZES

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.