Cobra pica garoto de 12 anos e pais percorrem 70 km para salvá-lo em MT

Menino_jararaca_620_465

Uma cobra de um metro de comprimento picou a perna de um garoto de 12 anos no domingo (20) na zona rural do município de Sinop, a 500 km de Cuiabá. A mãe e o padrasto mataram o animal e percorreram 70 quilômetros para conseguir salvar o menino.
O garoto estava no sítio do avô a passeio e em uma trilha próxima à ponte sobre o Rio Teles Pires ele sentiu uma grande ardência em uma das pernas. Mas o menino continuou a caminhar pela trilha junto com a família. Sem mais aguentar andar, o garoto reclamou para a mãe que sentia muitas dores.
No mesmo instante, ela percebeu que o ferimento havia sido provocado por uma picada de cobra. Ela e o marido refizeram a trilha e mataram o animal, que seria da espécie jararaca. Desesperados, eles foram atrás de socorro.
O bombeiro que atendeu a ocorrência, o sargento Pedro Ribas Alves, disse que a família viveu um drama por conta da distância do sítio até Sinop, a cidade mais próxima. “O sítio da família fica na Gleba Mercedes a 70 quilômetros de distância. Para não perdemos tempo, orientei a família a trazer o garoto de carro com muito cuidado que a gente iria encontrar a família no meio da estrada”, enfatizou o bombeiro. A estrada é parcialmente asfaltada. São 50 quilômetros de asfalto e outros 20 de terra.
Os bombeiros encontraram a família no trevo que dá acesso à cidade de Cláudia. No local, o sargento relatou que resgatou o menino já apresentando efeitos do veneno da cobra, como palidez e muita sede. Após um hora de viagem até Sinop, o garoto foi encaminhado, muito debilitado, ao Pronto Atendimento da cidade.
Na unidade hospitalar, a vítima recebeu o soro antiofídico com fatores específicos para o veneno da jararaca. O Pronto Atendimento informou que o garoto apresenta melhoras significativas do quadro clínico e que o estado de saúde dele é estável.
Para o sargento Alves, a atitude da família em matar o animal foi perigosa, já que poderia ter atrasado ainda mais o resgate. No entanto, ele ressaltou que saber a espécie do animal ajudou na administração do soro antiofídico. “O importante é não perder tempo procurando o animal, mas providenciar o mais rápido possível socorro ao paciente sem que ele se movimente. Mas saber a espécie da cobra facilita muito o atendimento, porque o soro dado é específico”, disse.
Animal silencioso
O Corpo de Bombeiros de Sinop atende todo mês pessoas atacadas por animais peçonhentos na região. Segundo o órgão, as jararacas são responsáveis pela maior quantidade dos ataques. Ainda de acordo com o órgão, o animal é silencioso e só pica quando se sente ameaçado.
A orientação do Corpo de Bombeiros é que as pessoas que vão fazer trilhas ou passar algumas horas na mata estejam com roupas adequadas para o passeio, como calça jeans e sapatos de cano longo. O menino que foi picado neste domingo estava apenas com chinelos e bermuda.

Mais imagems

Jararaca_620x235


Publicidade


Outras Notícias


Cachoeiro se prepara para receber mais uma edição da Stone Fair

Bienal Rubem Braga terá encontro nacional de literatura fantástica

Dia D de vacinação contra gripe em Cachoeiro é no sábado (12)

Inscrições no Enem já começaram

Inscrições para o Enem passam de 200 mil em uma hora e meia

São Pedro de Tarantásia, foi um homem pacificador

Diocese de Cachoeiro adota medidas para evitar contágio de gripes

Santa Casa lança campanha para incentivar mulheres a doar sangue

Estudantes são assaltadas na porta de faculdade em Cachoeiro

Homem é morto durante tentativa de assalto em Cachoeiro

Nasceu; e agora? Psicólogos explicam como lidar com a depressão pós-parto

Atenção, motoristas! IPVA de veículos com finais de placas de 6 a 0 começa a vencer

Prorrogado para 10 de maio prazo para renovar contratos do Fies

Campanha de vacinação em todo o país vai até 01 de junho

Conta de luz: Em maio bandeira tarifária mais cara

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.