Cobra pica garoto de 12 anos e pais percorrem 70 km para salvá-lo em MT

Menino_jararaca_620_465

Uma cobra de um metro de comprimento picou a perna de um garoto de 12 anos no domingo (20) na zona rural do município de Sinop, a 500 km de Cuiabá. A mãe e o padrasto mataram o animal e percorreram 70 quilômetros para conseguir salvar o menino.
O garoto estava no sítio do avô a passeio e em uma trilha próxima à ponte sobre o Rio Teles Pires ele sentiu uma grande ardência em uma das pernas. Mas o menino continuou a caminhar pela trilha junto com a família. Sem mais aguentar andar, o garoto reclamou para a mãe que sentia muitas dores.
No mesmo instante, ela percebeu que o ferimento havia sido provocado por uma picada de cobra. Ela e o marido refizeram a trilha e mataram o animal, que seria da espécie jararaca. Desesperados, eles foram atrás de socorro.
O bombeiro que atendeu a ocorrência, o sargento Pedro Ribas Alves, disse que a família viveu um drama por conta da distância do sítio até Sinop, a cidade mais próxima. “O sítio da família fica na Gleba Mercedes a 70 quilômetros de distância. Para não perdemos tempo, orientei a família a trazer o garoto de carro com muito cuidado que a gente iria encontrar a família no meio da estrada”, enfatizou o bombeiro. A estrada é parcialmente asfaltada. São 50 quilômetros de asfalto e outros 20 de terra.
Os bombeiros encontraram a família no trevo que dá acesso à cidade de Cláudia. No local, o sargento relatou que resgatou o menino já apresentando efeitos do veneno da cobra, como palidez e muita sede. Após um hora de viagem até Sinop, o garoto foi encaminhado, muito debilitado, ao Pronto Atendimento da cidade.
Na unidade hospitalar, a vítima recebeu o soro antiofídico com fatores específicos para o veneno da jararaca. O Pronto Atendimento informou que o garoto apresenta melhoras significativas do quadro clínico e que o estado de saúde dele é estável.
Para o sargento Alves, a atitude da família em matar o animal foi perigosa, já que poderia ter atrasado ainda mais o resgate. No entanto, ele ressaltou que saber a espécie do animal ajudou na administração do soro antiofídico. “O importante é não perder tempo procurando o animal, mas providenciar o mais rápido possível socorro ao paciente sem que ele se movimente. Mas saber a espécie da cobra facilita muito o atendimento, porque o soro dado é específico”, disse.
Animal silencioso
O Corpo de Bombeiros de Sinop atende todo mês pessoas atacadas por animais peçonhentos na região. Segundo o órgão, as jararacas são responsáveis pela maior quantidade dos ataques. Ainda de acordo com o órgão, o animal é silencioso e só pica quando se sente ameaçado.
A orientação do Corpo de Bombeiros é que as pessoas que vão fazer trilhas ou passar algumas horas na mata estejam com roupas adequadas para o passeio, como calça jeans e sapatos de cano longo. O menino que foi picado neste domingo estava apenas com chinelos e bermuda.

Mais imagems

Jararaca_620x235


Publicidade


Outras Notícias


Novas suspeitas de obras superfaturadas em Presidente Kennedy

Santos Rodrigo e Salomão - Sacerdotes mártires

Veículo com marcas de tiros é encontrado abandonado em bairro de Cachoeiro

Soldados do Exército chegam à Cachoeiro e já atuam em pontos estratégicos

Sesa atualiza dados de febre amarela

ProUni: estudantes capixabas ganham mais prazo para apresentar documentos

Fespes vai denunciar Estado Brasileiro a entidades internacionais de direitos humanos pelo caos no ES

Procurador-geral da República vem ao Estado para dar aval à 'reforma da PM'

Governo abre processo contra 703 militares envolvidos em ‘revolta armada’

Famílias de militares seguem irredutíveis na porta dos batalhões

Nossa Senhora de Lourdes

São Miguel Febres - Padroeiro dos pedagogos

Atenção! Excesso de peso na mochila pode prejudicar saúde das crianças

Peritos aceleram liberação de cadáveres para receber mais corpos no DML

ARENA VERÃO 2017 COMEÇA NESTE FINAL DE SEMANA EM MARATAÍZES

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.