Médicos, motoristas e mais de 50 sindicatos devem parar no ES

Super2

Alguns serviços da Grande Vitória anunciaram paralisação por conta da greve geral prevista para acontecer nesta quinta-feira (11) em todo o país. O atendimento médico vai ficar restrito às áreas de urgência e emergência e só volta ao funcionamento normal na sexta-feira (12), segundo informou o Sindicato dos Médicos do Espírito Santo (Simes). Já o transporte coletivo da região Metropolitana foi orientado pelas empresas a circular com 50% da frota, mas o Sindicato dos Rodoviários (Sindirodoviários) anunciou 100% de paralisação. De acordo com a Força Sindical, todos os 55 sindicatos vinculados à ela anunciaram que vão paralisar os serviços.
A greve geral foi convocada por centrais sindicais em todo o país, para esta quinta-feira (11). De acordo com o presidente do Simes, Otto Baptista, os médicos do estado vão aderir à manifestação por 24 horas. “Vai parar tudo. Só funciona urgência e emergência. Inclusive, encaminhamos um ofício ao governador do estado e aos prefeitos para que liberem os servidores e autorizem a remarcação de consultas”, falou.
Já o representante do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Espírito Santo (Setpes), Jaime De Angeli, afirmou que a circulação de uma parcela da frota de ônibus vai ser definida pelos motoristas. “Pedimos para que 50% dos ônibus ou, pelo menos 30%, como manda a lei, circule. Mas isso tudo vai depender dos motoristas, se eles vão aparecer para trabalhar nesta quinta, porque já foi dito que 100% dos veículos vão ficar retidos nas garagens”, afirmou.
Demais serviços
Além dos médicos e motoristas, o presidente da Força Sindical do Espírito Santo, Alexandro Costa, ainda informou nesta quarta-feira que outros serviços também ficarão indisponíveis nesta quinta. Todos os 55 sindicatos vinculados à Força Sindical aderiram à greve, além de 14 associações.
Cartórios e bancos não abrem, e servidores do governo do estado, incluindo professores, vão cruzar os braços. Serviços dentários só serão prestados em casos de urgência e emergência. O Tribunal de Justiça também não funciona.
Costa explicou que os servidores farão uma passeata até a Assembleia Legislativa, em Vitória, onde entregarão um documento com reivindicações. “Temos as questões do piso salarial estadual, da criação da universidade estadual, que devem ser resolvidas. Queremos resposta também para a atual questão da segurança, do fim do pedágio, são muitas as reivindicações”, disse. Já as prefeituras da Grande Vitória informaram que as escolas municipais funcionarão normalmente, assim como os supermercados.



Publicidade


Outras Notícias


Novas suspeitas de obras superfaturadas em Presidente Kennedy

Santos Rodrigo e Salomão - Sacerdotes mártires

Veículo com marcas de tiros é encontrado abandonado em bairro de Cachoeiro

Soldados do Exército chegam à Cachoeiro e já atuam em pontos estratégicos

Sesa atualiza dados de febre amarela

ProUni: estudantes capixabas ganham mais prazo para apresentar documentos

Fespes vai denunciar Estado Brasileiro a entidades internacionais de direitos humanos pelo caos no ES

Procurador-geral da República vem ao Estado para dar aval à 'reforma da PM'

Governo abre processo contra 703 militares envolvidos em ‘revolta armada’

Famílias de militares seguem irredutíveis na porta dos batalhões

Nossa Senhora de Lourdes

São Miguel Febres - Padroeiro dos pedagogos

Atenção! Excesso de peso na mochila pode prejudicar saúde das crianças

Peritos aceleram liberação de cadáveres para receber mais corpos no DML

ARENA VERÃO 2017 COMEÇA NESTE FINAL DE SEMANA EM MARATAÍZES

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.