Médicos do SUS e privados param terça e quarta-feira (30 e 31)

Medicos

Os médicos que atendem a rede particular ou pelo Sistema Único de Saúde (SUS) no Espírito Santo garante que vão suspender as atividades na próxima terça-feira (30) e quarta-feira (31). Apenas os serviços de urgência e emergência serão mantidos nos hospitais. A categoria ameaça deflagrar greve, por tempo indeterminado, após o dia 10 de agosto.

A paralisação, no Estado, tem o apoio do Sindicato dos Médicos do Espírito Santo (Simes), Associação Médica do Espírito Santo (Ames), Conselho Regional de Medicina (CRM-ES), representantes de cooperativas médicas, de residentes, de especialidades e de acadêmicos de medicina das cinco faculdades do Estado.

De acordo com o presidente do Simes, Otto Baptista, o protesto faz parte do cronograma de enfrentamento ao Programa Mais Médicos e aos vetos da Lei que regulamenta a medicina. “É uma luta geral em nome da medicina e da população brasileira”, disse.

Baptista pontua que as consultas eletivas e exames da rede pública e privada de saúde serão suspensas. E orienta a população remarcá-las para outros dias. Segundo ele, a categoria voltará a se reunir após o dia 10 de agosto, para avaliar os resultados dos protestos. Além disso, decidirão se irão deflagrar greve por tempo indeterminado.

Dentre o cronograma de atividades, a programação inclui mobilização de médicos pelas redes sociais, envio de e-mails, panfletagem, publicação de vídeos denúncia na internet, paralisação de consultas rede pública e privada, blitz em hospitais e Unidades de Pronta Atendimento (UPA) da Grande Vitória.

Programação

30/07 – Paralisação de todo atendimento eletivo na rede pública e privada
Blitz em Hospitais e Unidades de Pronto Atendimento (UPA) da Grande Vitória para verificar as condições de atendimento à população

31/07 – Paralisação de todo atendimento eletivo na rede pública e privada
Audiência com parlamentares
Ato público com concentração em frente ao CRM-ES

Marcha da Educação
Marcada para as primeiras horas desta sexta-feira (26), a I Marcha da Educação não aconteceu. A concentração seria na Praça do Papa, Enseada do Suá, em Vitória. O evento foi mobilizado pelo Facebook e é o 2º da educação que ninguém aparece.

A I Marcha da Educação foi criada no Facebook, pelo Ativismo Nacional ES e teve a confirmação de 650 pessoas no evento. Apesar de ser um movimento reivindicando melhorias na educação, a diretora do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Espírito Santo (Sindiupes), Dorsilha Vaz, afirmou que o sindicato não fazia parte da organização deste manifesto.



Publicidade


Outras Notícias


Novas suspeitas de obras superfaturadas em Presidente Kennedy

Santos Rodrigo e Salomão - Sacerdotes mártires

Veículo com marcas de tiros é encontrado abandonado em bairro de Cachoeiro

Soldados do Exército chegam à Cachoeiro e já atuam em pontos estratégicos

Sesa atualiza dados de febre amarela

ProUni: estudantes capixabas ganham mais prazo para apresentar documentos

Fespes vai denunciar Estado Brasileiro a entidades internacionais de direitos humanos pelo caos no ES

Procurador-geral da República vem ao Estado para dar aval à 'reforma da PM'

Governo abre processo contra 703 militares envolvidos em ‘revolta armada’

Famílias de militares seguem irredutíveis na porta dos batalhões

Nossa Senhora de Lourdes

São Miguel Febres - Padroeiro dos pedagogos

Atenção! Excesso de peso na mochila pode prejudicar saúde das crianças

Peritos aceleram liberação de cadáveres para receber mais corpos no DML

ARENA VERÃO 2017 COMEÇA NESTE FINAL DE SEMANA EM MARATAÍZES

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.