Médicos do SUS e privados param terça e quarta-feira (30 e 31)

Medicos

Os médicos que atendem a rede particular ou pelo Sistema Único de Saúde (SUS) no Espírito Santo garante que vão suspender as atividades na próxima terça-feira (30) e quarta-feira (31). Apenas os serviços de urgência e emergência serão mantidos nos hospitais. A categoria ameaça deflagrar greve, por tempo indeterminado, após o dia 10 de agosto.

A paralisação, no Estado, tem o apoio do Sindicato dos Médicos do Espírito Santo (Simes), Associação Médica do Espírito Santo (Ames), Conselho Regional de Medicina (CRM-ES), representantes de cooperativas médicas, de residentes, de especialidades e de acadêmicos de medicina das cinco faculdades do Estado.

De acordo com o presidente do Simes, Otto Baptista, o protesto faz parte do cronograma de enfrentamento ao Programa Mais Médicos e aos vetos da Lei que regulamenta a medicina. “É uma luta geral em nome da medicina e da população brasileira”, disse.

Baptista pontua que as consultas eletivas e exames da rede pública e privada de saúde serão suspensas. E orienta a população remarcá-las para outros dias. Segundo ele, a categoria voltará a se reunir após o dia 10 de agosto, para avaliar os resultados dos protestos. Além disso, decidirão se irão deflagrar greve por tempo indeterminado.

Dentre o cronograma de atividades, a programação inclui mobilização de médicos pelas redes sociais, envio de e-mails, panfletagem, publicação de vídeos denúncia na internet, paralisação de consultas rede pública e privada, blitz em hospitais e Unidades de Pronta Atendimento (UPA) da Grande Vitória.

Programação

30/07 – Paralisação de todo atendimento eletivo na rede pública e privada
Blitz em Hospitais e Unidades de Pronto Atendimento (UPA) da Grande Vitória para verificar as condições de atendimento à população

31/07 – Paralisação de todo atendimento eletivo na rede pública e privada
Audiência com parlamentares
Ato público com concentração em frente ao CRM-ES

Marcha da Educação
Marcada para as primeiras horas desta sexta-feira (26), a I Marcha da Educação não aconteceu. A concentração seria na Praça do Papa, Enseada do Suá, em Vitória. O evento foi mobilizado pelo Facebook e é o 2º da educação que ninguém aparece.

A I Marcha da Educação foi criada no Facebook, pelo Ativismo Nacional ES e teve a confirmação de 650 pessoas no evento. Apesar de ser um movimento reivindicando melhorias na educação, a diretora do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Espírito Santo (Sindiupes), Dorsilha Vaz, afirmou que o sindicato não fazia parte da organização deste manifesto.



Publicidade


Outras Notícias


Espírito Santo enfrenta desafio de vencer transmissão vertical do HIV, da hepatite B e da sífilis

Leptospirose é doença grave e transmitida por água contaminada de enchentes

Publicado decreto que autoriza uso do FGTS para compra de próteses

Saiba mais sobre as vacinas contra a gripe disponíveis no Brasil

Santo Apolônio, seu amor a Deus foi concreto

Inscrições para Cachoeirense Ausente de 2018 abrem nesta sexta (23)

Desfile e mostra cultural festejam emancipação de Cachoeiro

“A defesa da água é a defesa da vida”, afirma Papa

São Zacarias, Papa

Mais de cinco mil assinaturas reivindicam asfalto em comunidades de Alegre

São Nicolau de Flue, eremita

Prefeitura de Cachoeiro tenta disciplinar trânsito em cruzamento

Pai é preso suspeito de estuprar a filha de 11 anos em Marataízes

PM encontra pé de maconha dentro de casa em Cachoeiro

Torta Capixaba Orgulho da Nossa Gastronomia

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.