Contador tem prisão prorrogada

Hlio grechi_200_200

O contador Hélio Grechi Roza, acusado de ser o mentor de um esquema de corrupção na Câmara Municipal de Cachoeiro de Itapemirim, teve a prisão temporária prorrogada por mais cinco dias. O motivo é o recolhimento de mais provas contra ele por parte do Ministério Público.

O promotor Rodrigo Monteiro disse à reportagem que continua ouvindo pessoas para concluir o caso. Ontem, segundo ele, houve o depoimento de seis pessoas. Hoje, outras seis devem comparecer à Promotoria de Justiça e, amanhã, mais sete. Nenhum deles é servidor da Câmara Municipal.

“São pessoas que comercializaram gado com Hélio Grechi, que teria utilizado o dinheiro desviado da Câmara Municipal. Estamos ouvindo uma série de pessoas para saber se há envolvimento de cada uma e também para localizar o gado comprado, que servirá para ressarcir o erário”, explicou o promotor.

Rodrigo informou que os seis carros da família do contador foram apreendidos e estão no pátio da Prefeitura de Cachoeiro de Itapemirim. “Estamos levantando informações sobre o patrimônio de Hélio”.

Ele acredita que o caso pode ser encerrado nos próximos cinco dias, mas deixou claro que não descarta a participação de outras pessoas no esquema de fraude. Ao todo, foram apreendidos cerca de 60 cheques, movimentados neste ano, no valor aproximado de R$ 1,2 milhão.

Prisão

Hélio e outras oito pessoas foram presos na quinta-feira na operação Parlamento Rosa. Todos foram levados até a sede da Promotoria de Justiça, para prestar depoimento.

Após serem ouvidos, somente o contador do Legislativo Municipal ficou preso, sendo encaminhado para uma unidade prisional da Grande Vitória, em Viana.

As oito pessoas liberadas, de acordo com o promotor, depuseram no mesmo sentido, alegando que emprestaram as suas contas bancárias por amizade. O acusado as teria convencido de que tinha dívidas e precisava receber o dinheiro oriundo da venda de gado. Se o fizesse em sua própria conta, teria o valor apreendido pelo banco.

Na ocasião, a operação cumpriria 10 mandados de prisão e outros 10 de busca e apreensão, porém Lirio Moreira Gomes Filho não foi localizado e é considerado foragido. O contador e outras cinco pessoas foram afastados de suas funções na Câmara Municipal no dia 26 de setembro, por determinação da Justiça.

Caso

A investigação do Ministério Público aponta que o contador Hélio Grechi conseguia a assinatura da mesa diretora para efetuar a quitação de impostos. Logo, rasurava o cheque, alterando a destinação para o pagamento de folha complementar, que, na verdade, era a abertura para o desvio de verba da Câmara Municipal.

Fonte: O Fato



Publicidade


Outras Notícias


Novas suspeitas de obras superfaturadas em Presidente Kennedy

Santos Rodrigo e Salomão - Sacerdotes mártires

Veículo com marcas de tiros é encontrado abandonado em bairro de Cachoeiro

Soldados do Exército chegam à Cachoeiro e já atuam em pontos estratégicos

Sesa atualiza dados de febre amarela

ProUni: estudantes capixabas ganham mais prazo para apresentar documentos

Fespes vai denunciar Estado Brasileiro a entidades internacionais de direitos humanos pelo caos no ES

Procurador-geral da República vem ao Estado para dar aval à 'reforma da PM'

Governo abre processo contra 703 militares envolvidos em ‘revolta armada’

Famílias de militares seguem irredutíveis na porta dos batalhões

Nossa Senhora de Lourdes

São Miguel Febres - Padroeiro dos pedagogos

Atenção! Excesso de peso na mochila pode prejudicar saúde das crianças

Peritos aceleram liberação de cadáveres para receber mais corpos no DML

ARENA VERÃO 2017 COMEÇA NESTE FINAL DE SEMANA EM MARATAÍZES

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.