Remédios mais baratos no Espírito Santo a partir de dezembro

Remedio-37857

A partir do mês de dezembro o preço dos medicamentos vai cair no Estado. Ainda não se sabe o quanto, mas a tendência é que o desconto acompanhe a redução do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), assinada na manhã desta quinta-feira (14), no Palácio Anchieta, em Vitória.

A medida, que passa a valer no primeiro dia de dezembro, reduz o imposto cobrado sobre os medicamentos no Estado em até 35,38%. Porém, o preço final que chegará ao consumidor vai depender de algumas variantes.

“O objetivo é o ganho social. Pretendemos beneficiar a população reduzindo o preço final e buscamos ampliar a competitividade das empresas capixabas que atuam no ramo”, afirmou o Secretário de Estado da Fazenda Maurício Duque. “Entretanto essa redução vai depender do tipo de medicamento, do laboratório do qual o consumidor compra”, completou o Secretário.

Os medicamentos de referência terão uma redução de 22,41% nos impostos e os genéricos e similares diminuirão respectivamente 31,17% e 35,38%. Com esta medida, o Estado poderá deixar de arrecadar até 10 milhões em impostos.

“Abrimos mão do valor entre 5 e 10 milhões pois precisamos dar mais expectativa e mais ânimo, tanto para nosso setor farmacêutico quanto para os consumidores”, declarou o Governador Renato Casagrande.

Durante seis meses, o governo acompanhará a efetividade da medida e caso ela não surta efeitos consideráveis no preço final dos medicamentos, poderá ser revista:
“Serão seis meses de observação. Havendo redução a medida continua, caso contrário teremos de revisá-la”, explicou Duque.

Idalberto Moro, vice-presidente Federação do Comércio do Espírito Santo (Fecomercio) e presidente do Sindicato do Comércio Atacadista e Distribuidor do Espírito Santo(Sincades) que já esperava esta redução desde o governo anterior, afirmou a importância deste período de seis meses.

“É muito importante para o acompanhamento e o avanço da medida. Pois, no fim das contas, quem paga a carga tributária são os consumidores quando compram os produtos. Logo, quem ganha com isto não são os distribuidores, mas sim o consumidor”, finalizou.



Publicidade


Outras Notícias


Novas suspeitas de obras superfaturadas em Presidente Kennedy

Santos Rodrigo e Salomão - Sacerdotes mártires

Veículo com marcas de tiros é encontrado abandonado em bairro de Cachoeiro

Soldados do Exército chegam à Cachoeiro e já atuam em pontos estratégicos

Sesa atualiza dados de febre amarela

ProUni: estudantes capixabas ganham mais prazo para apresentar documentos

Fespes vai denunciar Estado Brasileiro a entidades internacionais de direitos humanos pelo caos no ES

Procurador-geral da República vem ao Estado para dar aval à 'reforma da PM'

Governo abre processo contra 703 militares envolvidos em ‘revolta armada’

Famílias de militares seguem irredutíveis na porta dos batalhões

Nossa Senhora de Lourdes

São Miguel Febres - Padroeiro dos pedagogos

Atenção! Excesso de peso na mochila pode prejudicar saúde das crianças

Peritos aceleram liberação de cadáveres para receber mais corpos no DML

ARENA VERÃO 2017 COMEÇA NESTE FINAL DE SEMANA EM MARATAÍZES

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.