Remédios mais baratos no Espírito Santo a partir de dezembro

Remedio-37857

A partir do mês de dezembro o preço dos medicamentos vai cair no Estado. Ainda não se sabe o quanto, mas a tendência é que o desconto acompanhe a redução do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), assinada na manhã desta quinta-feira (14), no Palácio Anchieta, em Vitória.

A medida, que passa a valer no primeiro dia de dezembro, reduz o imposto cobrado sobre os medicamentos no Estado em até 35,38%. Porém, o preço final que chegará ao consumidor vai depender de algumas variantes.

“O objetivo é o ganho social. Pretendemos beneficiar a população reduzindo o preço final e buscamos ampliar a competitividade das empresas capixabas que atuam no ramo”, afirmou o Secretário de Estado da Fazenda Maurício Duque. “Entretanto essa redução vai depender do tipo de medicamento, do laboratório do qual o consumidor compra”, completou o Secretário.

Os medicamentos de referência terão uma redução de 22,41% nos impostos e os genéricos e similares diminuirão respectivamente 31,17% e 35,38%. Com esta medida, o Estado poderá deixar de arrecadar até 10 milhões em impostos.

“Abrimos mão do valor entre 5 e 10 milhões pois precisamos dar mais expectativa e mais ânimo, tanto para nosso setor farmacêutico quanto para os consumidores”, declarou o Governador Renato Casagrande.

Durante seis meses, o governo acompanhará a efetividade da medida e caso ela não surta efeitos consideráveis no preço final dos medicamentos, poderá ser revista:
“Serão seis meses de observação. Havendo redução a medida continua, caso contrário teremos de revisá-la”, explicou Duque.

Idalberto Moro, vice-presidente Federação do Comércio do Espírito Santo (Fecomercio) e presidente do Sindicato do Comércio Atacadista e Distribuidor do Espírito Santo(Sincades) que já esperava esta redução desde o governo anterior, afirmou a importância deste período de seis meses.

“É muito importante para o acompanhamento e o avanço da medida. Pois, no fim das contas, quem paga a carga tributária são os consumidores quando compram os produtos. Logo, quem ganha com isto não são os distribuidores, mas sim o consumidor”, finalizou.



Publicidade


Outras Notícias


Bienal Rubem Braga terá encontro nacional de literatura fantástica

Dia D de vacinação contra gripe em Cachoeiro é no sábado (12)

Inscrições no Enem já começaram

Inscrições para o Enem passam de 200 mil em uma hora e meia

São Pedro de Tarantásia, foi um homem pacificador

Diocese de Cachoeiro adota medidas para evitar contágio de gripes

Santa Casa lança campanha para incentivar mulheres a doar sangue

Estudantes são assaltadas na porta de faculdade em Cachoeiro

Homem é morto durante tentativa de assalto em Cachoeiro

Nasceu; e agora? Psicólogos explicam como lidar com a depressão pós-parto

Atenção, motoristas! IPVA de veículos com finais de placas de 6 a 0 começa a vencer

Prorrogado para 10 de maio prazo para renovar contratos do Fies

Campanha de vacinação em todo o país vai até 01 de junho

Conta de luz: Em maio bandeira tarifária mais cara

São Floriano, padroeiro dos bombeiros

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.