Grávida espanca tio até a morte

Del_200_200

O aposentado José da Silva, 66, foi brutalmente espancado na manhã de quinta-feira, em Presidente Kennedy, e morreu na Santa Casa de Cachoeiro, por traumatismo craniano. Sua sobrinha foi presa, acusada pelo crime. Ela está no nono mês de gestação.

Era a dona de casa Vanete de Oliveira Silva, 31, quem cuidava do tio. Além de deficiente físico, o idoso estava doente. Em troca, recebia o benefício previdenciário a que ele tinha direito. Ela foi autuada em flagrante na noite do crime e confessou. Disse ter ficado nervosa por ter sido acordada pelo aposentado durante a madrugada.

No depoimento, ela relata que viu que o tio tinha evacuado e sujado a roupa que usava e o lençol da cama. Descontrolada, a mulher começou a agredi-lo, com chutes e empurrões, levando-o até o quintal, onde a vítima caiu e não se levantou mais.

Ao perceber que o tio estava muito ferido, a mulher pediu ajuda ao marido, que estava dentro de casa. Ele acionou a ambulância, que levou o aposentado à Santa Casa Cachoeiro.

No hospital, a médica Ana Maria de Abreu avaliou José e constatou hematomas em várias partes do corpo, além de arranhões e cortes na face, no tórax, no abdômen e até nas partes íntimas. O idoso morreu por volta das 15h00 e, segundo a polícia, a causa é traumatismo craniano.

Foi a própria sobrinha quem cuidou da liberação do corpo no Instituto Médico Legal (IML) de Cachoeiro, na tarde de quinta-feira.

Ao serem comunicados da morte do aposentado, policiais civis da Delegacia de Presidente Kennedy começaram a investigar e chegaram à Vanete. Ela recebeu voz de prisão às 22h00 do mesmo dia, quando foi à delegacia procurar pelo marido, que estava prestando esclarecimentos.

A acusada vai responder por agressão seguida de morte, segundo o delegado responsável pelo caso, Edson Lopes Júnior. Já está encarcerada no Centro Prisional Feminino de Cachoeiro de Itapemirim (CPFCI) e se condenada, pode pegar de quatro a 12 anos de cadeia.

Assim que chegou à unidade foi avaliada pelo médico e está em observação na enfermaria do presídio. Segundo nota da Secretaria de Estado de Justiça (Sejus), após o parto, que deve ocorrer na semana que vem, a interna e o bebê ficarão no alojamento materno-infantil, área reservada para gestantes e mães com filhos. No local, receberão assistência da equipe multidisciplinar da unidade, que conta com médico, enfermeiro, técnico de enfermagem, psicólogo e assistente social.

Fonte: O Fato



Publicidade


Outras Notícias


Novas suspeitas de obras superfaturadas em Presidente Kennedy

Santos Rodrigo e Salomão - Sacerdotes mártires

Veículo com marcas de tiros é encontrado abandonado em bairro de Cachoeiro

Soldados do Exército chegam à Cachoeiro e já atuam em pontos estratégicos

Sesa atualiza dados de febre amarela

ProUni: estudantes capixabas ganham mais prazo para apresentar documentos

Fespes vai denunciar Estado Brasileiro a entidades internacionais de direitos humanos pelo caos no ES

Procurador-geral da República vem ao Estado para dar aval à 'reforma da PM'

Governo abre processo contra 703 militares envolvidos em ‘revolta armada’

Famílias de militares seguem irredutíveis na porta dos batalhões

Nossa Senhora de Lourdes

São Miguel Febres - Padroeiro dos pedagogos

Atenção! Excesso de peso na mochila pode prejudicar saúde das crianças

Peritos aceleram liberação de cadáveres para receber mais corpos no DML

ARENA VERÃO 2017 COMEÇA NESTE FINAL DE SEMANA EM MARATAÍZES

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.