Penitenciária de Cachoeiro ganha nova frente de trabalho

Sejus_trabalho_jpg

Mais quinze internos que cumprem pena em regime fechado na Penitenciária Regional de Cachoeiro de Itapemirim (PRCI) começaram a trabalhar. A oportunidade é resultado do convênio assinado entre a Secretaria de Estado da Justiça (Sejus) e a empresa de IA Uliana, que produz luvas de couro, botas de proteção e Equipamentos de Proteção Individual (EPI).

Os internos começaram a trabalhar no dia 17 de dezembro, em uma oficina de trabalho instalada pela empresa na unidade. A instalação da oficina de trabalho foi acompanhada pelos diretores da fábrica e da unidade, além dos profissionais do setor de terapia ocupacional da PRCI.

De acordo com o diretor adjunto da unidade, Fabricio Depollo Ceccon, a oportunidade de trabalho é de extrema importância para os reeducandos. “Com a frente de trabalho, estudo e cursos, os internos ficam qualificados para que após o término do período em que estiverem reclusos, tenham uma maior oportunidade no mercado de trabalho”, explicou.

Ressocialização

A Secretaria de Estado da Justiça (Sejus) realiza o trabalho de ressocialização pautado no tripé trabalho, qualificação profissional e educação. O objetivo é ampliar o nível de escolaridade dos internos, qualificá-los profissionalmente e inseri-los no mercado de trabalho ainda durante o cumprimento da pena e encaminhá-los a uma vaga de trabalho assim que deixarem o sistema prisional.

Hoje, 2.134 internos trabalham, em atividades dentro e fora das unidades. As oportunidades de trabalho são ofertadas por 232 empresas conveniadas à Sejus. Entre os trabalhos desenvolvidos destaca-se a produção de estofados, confecção de blocos de concreto, plantação de mudas de eucalipto, construção civil, serviços gerais, além de finalização e acabamento de confecção.

Os internos que trabalham recebem, além do benefício de remição de pena (três dias de trabalho, significam um dia a menos de cumprimento de pena, Art. 126, § 1°, da LEP), ao menos um salário mínimo por mês. Conforme determinado pelo Programa de Pagamento ao Trabalhador Preso, uma parte do salário vai diretamente para uma poupança, em nome do interno, outra parte vai para família e a terceira, para o preso. O dinheiro da poupança só pode ser retirado quando a pessoa é beneficiada com a liberdade.



Publicidade


Outras Notícias


Novas suspeitas de obras superfaturadas em Presidente Kennedy

Santos Rodrigo e Salomão - Sacerdotes mártires

Veículo com marcas de tiros é encontrado abandonado em bairro de Cachoeiro

Soldados do Exército chegam à Cachoeiro e já atuam em pontos estratégicos

Sesa atualiza dados de febre amarela

ProUni: estudantes capixabas ganham mais prazo para apresentar documentos

Fespes vai denunciar Estado Brasileiro a entidades internacionais de direitos humanos pelo caos no ES

Procurador-geral da República vem ao Estado para dar aval à 'reforma da PM'

Governo abre processo contra 703 militares envolvidos em ‘revolta armada’

Famílias de militares seguem irredutíveis na porta dos batalhões

Nossa Senhora de Lourdes

São Miguel Febres - Padroeiro dos pedagogos

Atenção! Excesso de peso na mochila pode prejudicar saúde das crianças

Peritos aceleram liberação de cadáveres para receber mais corpos no DML

ARENA VERÃO 2017 COMEÇA NESTE FINAL DE SEMANA EM MARATAÍZES

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.