Iema interdita aterro irregular e multa prefeitura de Alfredo Chaves em R$ 16 mil

Lixo_rio_alfredo_chaves__387804a1ea

Mesmo após interdição de aterro pelo Instituto Estadual de Meio Ambiente (Iema) em dezembro do ano passado, moradores de Alfredo Chaves denunciaram que a prefeitura continua jogando lixo indevido próximo às margens dos rios Caco de Pote e Beneventes. O órgão multou a prefeitura em R$ 16 mil. O instituto vai fazer nova vistoria na área nesta terça-feira (20).

A preocupação dos moradores é que região costuma ser alagada e ainda existe o plano da administração municipal em construir um condomínio de casas populares.

Segundo o dentista Josias Tomazini Benincá, a prefeitura tinha autorização para depositar entulhos, mas começou a ultrapassar a quantidade e local permitidos. Ele e outros moradores se juntaram para contratar um especialista e pagaram por um laudo técnico.

“Foi constatado uma invasão do leito do rio em área de preservação permanente. A cidade está em um lugar perto do rio. Se aterrar em local que serve para alagamento, a cidade vai ficar exposta quando chover. Esse lixo vai parar dentro do rio. No momento, não sabemos o que está acontecendo porque o aterro continua com todo tipo de lixo, até carcaça de celular”, reclamou.

O diretor técnico do Iema, Elias Alberto Morgan, explicou que a prefeitura só tinha licenciamento simplificado para resíduos de construção civil, mas após vistoria do órgão foi constatado que o limite ultrapassou o volume de 10 mil metros cúbicos.

Foram encontrados outros materiais como restos de madeira, troncos de árvores, materiais plásticos e metálicos, por isso o Iema anulou a licença. Outra constatação é que o lixo estava avançando 50 metros na área de preservação permanente (APP) do leito do rio Caco do Pote.

“Foi feito um auto de intimação para que a prefeitura remova o material indevido, incluindo o que avançou na APP, e busque outro local, já que aquele saturou a capacidade. No final de 2013, foi lavrada uma multa também, mas cabe recurso de defesa. A região foi interditada até que se apresente uma solução”, disse Elias.

Em relação à construção de casas às margens dos rios, o diretor informou que houve um protocolo de carta consulta para liberação de licença para terra planagem e 100 unidades habitacionais. “Isso foi em janeiro de 2012. Enviamos um ofício em resposta, mas não houve manifestação da prefeitura”, falou.

A assessoria de imprensa da prefeitura de Alfredo Chaves informou que o aterro é regularizado pelo Iema. O Executivo informou ainda que a administração não deposita mais entulhos de construção e confirmou que existe o projeto para construção de casas para quem perdeu as residências nas chuvas, mas ainda não há previsão de quando serão iniciadas.

De acordo com a prefeitura, o governo do Estado teria cedido os 10 hectares de terra para o Executivo local.



Publicidade


Outras Notícias


Novas suspeitas de obras superfaturadas em Presidente Kennedy

Santos Rodrigo e Salomão - Sacerdotes mártires

Veículo com marcas de tiros é encontrado abandonado em bairro de Cachoeiro

Soldados do Exército chegam à Cachoeiro e já atuam em pontos estratégicos

Sesa atualiza dados de febre amarela

ProUni: estudantes capixabas ganham mais prazo para apresentar documentos

Fespes vai denunciar Estado Brasileiro a entidades internacionais de direitos humanos pelo caos no ES

Procurador-geral da República vem ao Estado para dar aval à 'reforma da PM'

Governo abre processo contra 703 militares envolvidos em ‘revolta armada’

Famílias de militares seguem irredutíveis na porta dos batalhões

Nossa Senhora de Lourdes

São Miguel Febres - Padroeiro dos pedagogos

Atenção! Excesso de peso na mochila pode prejudicar saúde das crianças

Peritos aceleram liberação de cadáveres para receber mais corpos no DML

ARENA VERÃO 2017 COMEÇA NESTE FINAL DE SEMANA EM MARATAÍZES

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.