Justiça decreta ilegalidade da greve de Defensores

Defensoria publica

A desembargadora Hermínia Maria Silveira Azoury, após analisar o pedido de liminar do Governo do Estado, declarou ilegal a greve dos Defensores Públicos do Espírito Santo, deflagrada no último dia 21 de janeiro. Em sua decisão, a juíza expõe que a manutenção de apenas 30% dos serviços prestados para a Defensoria Pública “irá causar dano grave e de difícil reparação aos assistidos por aquele órgão, tendo em vista que as atividades desempenhadas pela Defensoria Pública são essenciais por natureza, na medida em que representa os hipossuficientes em juízo e fora dele, amparando-os juridicamente”.

Na decisão, está descrito ainda que com a declaração de ilegalidade da greve, a Associação dos Defensores Públicos do Estado do Espírito Santo deve abster-se de realizar as paralisações parciais ou totais que impeçam o regular funcionamento dos serviços.

O deferimento pede a suspensão da greve, ainda que parcial, das atividades funcionais, sob pena de multa diária de R$ 10 mil.



Publicidade


Outras Notícias


Bienal Rubem Braga terá encontro nacional de literatura fantástica

Dia D de vacinação contra gripe em Cachoeiro é no sábado (12)

Inscrições no Enem já começaram

Inscrições para o Enem passam de 200 mil em uma hora e meia

São Pedro de Tarantásia, foi um homem pacificador

Diocese de Cachoeiro adota medidas para evitar contágio de gripes

Santa Casa lança campanha para incentivar mulheres a doar sangue

Estudantes são assaltadas na porta de faculdade em Cachoeiro

Homem é morto durante tentativa de assalto em Cachoeiro

Nasceu; e agora? Psicólogos explicam como lidar com a depressão pós-parto

Atenção, motoristas! IPVA de veículos com finais de placas de 6 a 0 começa a vencer

Prorrogado para 10 de maio prazo para renovar contratos do Fies

Campanha de vacinação em todo o país vai até 01 de junho

Conta de luz: Em maio bandeira tarifária mais cara

São Floriano, padroeiro dos bombeiros

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.