Bairros e distritos de Cachoeiro ganham pluviômetros

Pluvi

Como parte da política de prevenção a desastres naturais em Cachoeiro de Itapemirim, as áreas mais atingidas pelas chuvas no município estão recebendo pluviômetros, que vão ajudar a Defesa Civil Municipal a prever as consequências da precipitação nessas regiões.

Nesta semana, foi concluída, no bairro IBC, mais uma instalação do processo, que começou em dezembro, por meio de parceria entre a prefeitura e o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden).

Fazem parte também das ações nos últimos anos o investimento em obras para aumento e melhoria da rede de drenagem, o mapeamento de áreas de risco e a organização e capacitação da Defesa Civil e da comunidade para prevenção e atendimento em caso de desastres.

No total, serão 11 pluviômetros. Já foram instalados os dos bairros São Geraldo, Guandu, Ilha da Luz, Coramara, Aeroporto e Jardim Itapemirim e do distrito de Itaóca. Ainda serão instalados nos distritos de Burarama, São Vicente, Pacotuba e Gruta, no próximo semestre.

O projeto contempla cidades com Defesa Civil regulamentadas e atuantes, com sistema de mapeamento de áreas de risco. Segundo o gerente de vistorias da Defesa Civil de Cachoeiro, Cleidson Marcelino, o critério para definir a localização é a suscetibilidade a alagamentos e deslizamentos.

“Com os dados do aparelho, vamos poder relacionar cada quantitativo de chuva com as suas consequências naquela determinada região. Assim, quando soubermos o índice pluviométrico previsto, poderemos definir a prevenção e o atendimento”, explicou.

No bairro São Geraldo, por exemplo, o aparelho está em uma microbacia hidrográfica cercada por morros, de onde a água da chuva desce até o córrego que deságua no rio Itapemirim. A partir dos dados do pluviômetro, será possível construir um histórico do comportamento dessas águas em cada situação de chuva, para saber qual volume é suficiente para o alerta.

Está prevista para o próximo semestre, na região do bairro Guandu, a instalação de uma régua eletrônica em uma das pontes sobre o rio Itapemirim. Ela capta dados sobre a vazão e envia diretamente aos computadores do Cemaden, por meio de sinal GSM, para identificar mais cedo possíveis situações de risco ligadas ao rio.



Publicidade


Outras Notícias


Espírito Santo enfrenta desafio de vencer transmissão vertical do HIV, da hepatite B e da sífilis

Leptospirose é doença grave e transmitida por água contaminada de enchentes

Publicado decreto que autoriza uso do FGTS para compra de próteses

Saiba mais sobre as vacinas contra a gripe disponíveis no Brasil

Santo Apolônio, seu amor a Deus foi concreto

Inscrições para Cachoeirense Ausente de 2018 abrem nesta sexta (23)

Desfile e mostra cultural festejam emancipação de Cachoeiro

“A defesa da água é a defesa da vida”, afirma Papa

São Zacarias, Papa

Mais de cinco mil assinaturas reivindicam asfalto em comunidades de Alegre

São Nicolau de Flue, eremita

Prefeitura de Cachoeiro tenta disciplinar trânsito em cruzamento

Pai é preso suspeito de estuprar a filha de 11 anos em Marataízes

PM encontra pé de maconha dentro de casa em Cachoeiro

Torta Capixaba Orgulho da Nossa Gastronomia

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.