Professores e funcionários das universidades federais marcam greve nacional para março

Greve geral

Os professores das universidades federais decidiram entrar em greve em 19 de março A decisão foi tomada no fim de semana no 33ª Congresso do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes-SN). Segundo nota divulgada no site do sindicato, “haverá uma reunião nacional do setor, pautando a retomada da greve dos docentes, suspensa em 2012”.

Em 2012, o comando nacional de greve do Andes-SN coordenou uma greve nacional por 123 dias – a mais longa da história do ensino superior – e teve adesão de 58 das 59 universidades federais. Na época, o sindicato afirmou que mesmo com o fim da greve, haviam sido estabelecidas “ações para a continuidade da mobilização da categoria”.

De acordo com o sindicato, a mobilização deste ano será feita em conjunto com outras ações para “reivindicar a reestruturação da carreira docente, melhores salário e condições de trabalho.”

Além dos professores, os técnicos-administrativos em educação também definiram para março o início da paralisação nacional. O grupo, que atua em atividades administrativas dentro das universidades e hospitais universitários, entra em greve a partir do dia 17. Segundo a Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores das Universidades Públicas Brasileiras (Fasubra), a categoria concentra 180 mil trabalhadores e reivindica melhorias nas condições de trabalho, jornada de 30 horas semanais e a revogação da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH), que rege o regime de trabalho nos hospitais universitários.

Rede estadual – Os professores das redes estaduais de educação básica também anunciaram a paralisação para março. Nas escolas, a greve está marcada para os dias 17, 18 e 19. Segundo nota publicada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), os servidores “vão parar o Brasil para exigir o cumprimento da lei do piso, investimento dos royalties de petróleo na valorização da categoria, votação imediata do Plano Nacional de Educação e destinação de 10% do PIB para a educação pública”.

O Ministério da Educação (MEC) foi procurado pela reportagem para comentar os anúncios de greve, mas não retornou até às 19 horas de segunda-feira.



Publicidade


Outras Notícias


Cachoeiro se prepara para receber mais uma edição da Stone Fair

Bienal Rubem Braga terá encontro nacional de literatura fantástica

Dia D de vacinação contra gripe em Cachoeiro é no sábado (12)

Inscrições no Enem já começaram

Inscrições para o Enem passam de 200 mil em uma hora e meia

São Pedro de Tarantásia, foi um homem pacificador

Diocese de Cachoeiro adota medidas para evitar contágio de gripes

Santa Casa lança campanha para incentivar mulheres a doar sangue

Estudantes são assaltadas na porta de faculdade em Cachoeiro

Homem é morto durante tentativa de assalto em Cachoeiro

Nasceu; e agora? Psicólogos explicam como lidar com a depressão pós-parto

Atenção, motoristas! IPVA de veículos com finais de placas de 6 a 0 começa a vencer

Prorrogado para 10 de maio prazo para renovar contratos do Fies

Campanha de vacinação em todo o país vai até 01 de junho

Conta de luz: Em maio bandeira tarifária mais cara

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.