Tribunal absolve ex-prefeito de Guaçuí da acusação de improbidade

Luciano

A 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado (TJES) acolheu o recurso do ex-prefeito de Guaçuí (região Caparaó), Luciano Manoel Machado (PCdoB), para absolvê-lo da acusação de uso irregular de verbas do Sistema Único de Saúde (SUS). O ex-prefeito havia sido condenado pelo juízo de 1º grau à perda dos direitos políticos e o ressarcimento do eventual dano ao erário, porém, os desembargadores entenderam que não houve a conotação de fraudes na aplicação indevida dos recursos.

Para o relator da apelação (0001923-27.2008.8.08.0020), desembargador Fábio Clem de Oliveira, o ex-prefeito não teria agido com intenção de desviar dinheiro público ou causar prejuízo aos cofres públicos ao utilizar verbas destinadas à saúde para o pagamento de servidores de outras áreas. Na denúncia inicial, o Ministério Público Estadual (MPES) utilizou com base o resultado de uma auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU), que apontou o desvio de finalidade de quase R$ 300 mil.

“A análise do caso denota a ocorrência de utilização indevida, pelo ex-prefeito demandado, de verbas públicas destinadas à saúde para fins de pagamento de servidores públicos municipais em cargos não vinculados à referida área, todavia, sem conotação de fraude em benefício próprio ou de terceiros, ou mesmo de corrupção, e sem a prova do prejuízo efetivo para o município demandante”, narra um dos trechos do acórdão publicado nesta quinta-feira (27).

Durante o julgamento realizado no último dia 18, o relator destacou a existência de precedentes do Superior Tribunal de Justiça (STJ), no qual os ministros entendem que “todo ato ímprobo é um ato ilícito, irregular, mas nem todo ilícito ou irregularidade constitui-se em ato de improbidade”. Neste caso, o ex-prefeito de Guaçuí teria cometido apenas uma irregularidade administrativa, mas sem a possibilidade de resultar nas sanções previstas na Lei de Improbidade Administrativa (Lei Federal nº 8.429/1992).

Na primeira instância, a denúncia contra Luciano Machado foi julgada procedente pelo juiz da 1ª Vara de Guaçuí, Gustavo Henrique Procópio Silva. Na sentença de setembro de 2011, o ex-prefeito dói condenado ao ressarcimento do suposto prejuízo apontado pelo TCU (fixado em R$ 292,56 mil) e ao pagamento de multa, no valor da última remuneração como prefeito. A sentença estabelecia também a perda da função pública, suspensão dos direitos políticos pelo prazo de cinco anos e proibição de contratar com o poder público no mesmo período.

Naquela ocasião, a defesa do ex- prefeito alegou que o pagamento de funcionários pertencentes a outros setores com verbas destinadas à saúde se deu em razão de remoções ocorridas entre os setores da administração. Luciano Machado afirmou que as trocas eram autorizadas pelos secretários municipais sem o conhecimento do prefeito. Ele também garantiu que as irregularidades foram saneadas com o pagamento de multa de R$ 8 mil junto ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) No entanto, o juiz de piso considerou que o desvio de finalidade das verbas federais do SUS foi um “desvio ético e grave ilícito, condenável nas esferas criminal, cível e administrativa”.

O Ministério Público ainda pode recorrer da absolvição do ex-prefeito de Guaçuí nas instâncias superiores.



Publicidade


Outras Notícias


Novas suspeitas de obras superfaturadas em Presidente Kennedy

Santos Rodrigo e Salomão - Sacerdotes mártires

Veículo com marcas de tiros é encontrado abandonado em bairro de Cachoeiro

Soldados do Exército chegam à Cachoeiro e já atuam em pontos estratégicos

Sesa atualiza dados de febre amarela

ProUni: estudantes capixabas ganham mais prazo para apresentar documentos

Fespes vai denunciar Estado Brasileiro a entidades internacionais de direitos humanos pelo caos no ES

Procurador-geral da República vem ao Estado para dar aval à 'reforma da PM'

Governo abre processo contra 703 militares envolvidos em ‘revolta armada’

Famílias de militares seguem irredutíveis na porta dos batalhões

Nossa Senhora de Lourdes

São Miguel Febres - Padroeiro dos pedagogos

Atenção! Excesso de peso na mochila pode prejudicar saúde das crianças

Peritos aceleram liberação de cadáveres para receber mais corpos no DML

ARENA VERÃO 2017 COMEÇA NESTE FINAL DE SEMANA EM MARATAÍZES

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.