Vereador quer Conselho dos Royalties de Marataízes

Carlos

Grande parte da população de Marataízes desconhece o montante e a aplicação dos recursos provenientes dos royalties. Com essa constatação, o Vereador Carlos da Marinha (Solidariedade) apresentou um Projeto de Lei Complementar na Sessão da ultima segunda-feira (01.04) da Câmara Municipal de Marataízes para reativar o Conselho Municipal de Fiscalização do Fundo dos Royalties, criado pela Lei 1018/2006.

De acordo com a proposta, o Conselho será dotado de maior autonomia para exercer a fiscalização, na medida em que se desvinculará da Lei Estadual 8308, também de 2006, responsável por sua criação. A ideia tem o objetivo de ampliar a participação popular sobre o controle e também a respeito das decisões para a destinação dos recursos.

Durante a apresentação do projeto, Carlos da Marinha disse que as compensações se avolumam nos cofres da Prefeitura, chegando à ordem de aproximadamente R$ 70 milhões. Além disso, falou sobre as dificuldades que a população enfrenta para acompanhar o que é feito com os royalties.

“Poucos conhecem o que os royalties significam exatamente, mas a maioria sabe que eles são recursos abundantes que chegam para o município. É muito dinheiro, mas apenas uma minoria ínfima sabe o quanto e como esse dinheiro é investido. Como é um assunto que diz respeito a todos os cidadãos, nada mais certo que o Conselho, representando também a população, cumpra o seu papel na fiscalização desses recursos”, discursa.

O Vereador ainda falou das necessidades enfrentadas pelo município em áreas apontadas como preferenciais para alocação dos recursos dos royalties. Segundo a Lei Federal 12.858, sancionada no ano passado, as receitas oriundas dos royalties sobre contratos firmados a partir de 3 de dezembro de 2012, serão destinadas exclusivamente para a saúde e para a educação pública, com prioridade para a educação básica.

“Vemos tantos problemas na cidade em áreas que os royalties podem nos ajudar, como no CAIC e na Unidade de Saúde de Lagoa Funda, apenas para ficar em dois exemplos. Penso que o Conselho atuante poderá contribuir decisivamente no direcionamento dos recursos para os investimentos necessários e esperados por todos. Os royalties devem ser usados para garantir um futuro digno para Marataízes e a população tem o direito e deve acompanhar para onde vai cada centavo desses recursos”, conclui.

Royalties

Em definição da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – ANP, royalties são compensações financeiras devidas pelos concessionários, paga mensalmente, com relação a cada campo, a partir do mês em que ocorrer a respectiva data de início da produção, sendo distribuída entre estados, municípios, Comando da Marinha do Brasil, Ministério da Ciência e Tecnologia e um Fundo Especial, administrado pelo Ministério da Fazenda.

Dados extraídos do Portal da Transparência apontam que, apenas em 2014, o município de Marataízes recebeu aproximadamente R$ 10 milhões em royalties.

Fonte: Atenas



Publicidade


Outras Notícias


Novas suspeitas de obras superfaturadas em Presidente Kennedy

Santos Rodrigo e Salomão - Sacerdotes mártires

Veículo com marcas de tiros é encontrado abandonado em bairro de Cachoeiro

Soldados do Exército chegam à Cachoeiro e já atuam em pontos estratégicos

Sesa atualiza dados de febre amarela

ProUni: estudantes capixabas ganham mais prazo para apresentar documentos

Fespes vai denunciar Estado Brasileiro a entidades internacionais de direitos humanos pelo caos no ES

Procurador-geral da República vem ao Estado para dar aval à 'reforma da PM'

Governo abre processo contra 703 militares envolvidos em ‘revolta armada’

Famílias de militares seguem irredutíveis na porta dos batalhões

Nossa Senhora de Lourdes

São Miguel Febres - Padroeiro dos pedagogos

Atenção! Excesso de peso na mochila pode prejudicar saúde das crianças

Peritos aceleram liberação de cadáveres para receber mais corpos no DML

ARENA VERÃO 2017 COMEÇA NESTE FINAL DE SEMANA EM MARATAÍZES

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.