Após assembleia, professores decidem manter paralisação

070514_protesto_professores_interna_gustavo

Os professores da rede estadual, em greve desde o dia 14 de abril, realizaram assembleia geral na manhã desta quarta-feira (7), no auditório do Sindicato dos Bancários do Estado (Sindibancários-ES), e decidiram pela continuidade do movimento. Após a reunião, os professores saíram em passeata pelas ruas de Vitória até a Secretaria de Estado da Educação (Sedu), na Praia do Suá.

Durante a assembleia, os professores também votaram a respeito do financiamento da greve. A categoria deliberou para que a verba da Força Sindical seja usada exclusivamente para a greve. Foram eleitos, ainda, cinco professores da base para acompanhar a aplicação do dinheiro.

Depois de terminada a assembleia, os profissionais saíram em caminhada pela Avenida Vitória, em direção à Sedu. Durante a passeata, os professores repudiaram a instalação de câmeras em escolas da rede estadual, a exemplo do que foi feito na Escola de Ensino Fundamental e Médio (EEFM) São Luiz, em Santa Maria de Jetibá (região serrana), em que foram instaladas câmeras nos banheiros, constrangendo os alunos, sob o pretexto de que seria para inibir o uso de drogas e depredações do patrimônio.

Ao chegarem à Sedu, os professores entraram no prédio dizendo palavras de ordem e percorreram os andares do edifício promovendo um “apitaço”.

Os trabalhadores pleiteiam reajuste salarial para 2014, com aplicação da Lei do Piso; revisão dos planos de cargos, carreiras e salários vencidos; e eleição direta para direção escolar.

A Procuradoria-Geral do Estado (PGE) pediu à Justiça a ilegalidade da greve antes mesmo que ela começasse e o Estado conseguiu liminar neste sentido. O setor jurídico do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública (Sindiupes), no entanto, recorre da decisão e o movimento foi mantido.

Reunião

Nesta terça-feira (6) uma reunião no Ministério Público do Estado (MPES) teve objetivo de mediar as negociações entre o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado (Sindiupes) e o governo. Esta foi a primeira reunião organizada a pedido MPES com o objetivo de intermediar o fim da greve dos servidores da Educação, deflagrada em 8 de abril, com início da paralisação em 14 de abril.

Para evitar que os alunos sejam prejudicados, o MPES vai tentar mediar um Termo de Compromisso entre o Estado e os professores.

O Sindiupes, por meio dos seus representantes presentes à reunião – dois diretores e o advogado do sindicato – solicitou a apresentação de propostas concretas, que atendam aos principais pleitos da categoria. Essas propostas serão levadas à classe, na tentativa de construção de um acordo, a ser discutido já na próxima reunião.

O diretor do Sindiupes Gean Carlos Nunes de Jesus observou que os professores têm responsabilidade com o ensino, mas que há necessidade de negociação com o Estado para que os pleitos da categoria sejam atendidos. Avaliou que o impedimento do reajuste solicitado com base na vedação eleitoral é questionável, vez que o governo federal concedeu reajuste no benefício do Programa Bolsa Família sem que houvesse proibição pela mesma lei.



Publicidade


Outras Notícias


Cachoeiro se prepara para receber mais uma edição da Stone Fair

Bienal Rubem Braga terá encontro nacional de literatura fantástica

Dia D de vacinação contra gripe em Cachoeiro é no sábado (12)

Inscrições no Enem já começaram

Inscrições para o Enem passam de 200 mil em uma hora e meia

São Pedro de Tarantásia, foi um homem pacificador

Diocese de Cachoeiro adota medidas para evitar contágio de gripes

Santa Casa lança campanha para incentivar mulheres a doar sangue

Estudantes são assaltadas na porta de faculdade em Cachoeiro

Homem é morto durante tentativa de assalto em Cachoeiro

Nasceu; e agora? Psicólogos explicam como lidar com a depressão pós-parto

Atenção, motoristas! IPVA de veículos com finais de placas de 6 a 0 começa a vencer

Prorrogado para 10 de maio prazo para renovar contratos do Fies

Campanha de vacinação em todo o país vai até 01 de junho

Conta de luz: Em maio bandeira tarifária mais cara

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.