SBT atrasa novela para não bater de frente com a Globo

A-diretora-artistica-

Garçons vestidos de soldados desfilam bandejas de strogonoff de carne. A atriz Gabriela Alves passa entre os convidados, observando tudo por cima dos ombros. Isadora Ribeiro abraça e beija Raul Gil em frente a uma câmera de TV. Um colunista de jornal termina de comer e deixa discretamente o prato em um canto do hall de entrada do Clube Nacional, no Pacaembu, em São Paulo. É ali, tradicional sede de bailes nos anos 1960, que acontece na noite de terça-feira a festa de lançamento da novela Amor e Revolução, nova aposta da dramaturgia do SBT. A estreia da novela, que se passa no período da ditadura militar, está marcada para as 22h15. É para não enfrentar a novela da Globo, explica Daniela Beyruti. “É muito investimento para isso”, diz, batendo com as costas de uma mão na palma da outra. A novela de Tiago Santiago tem o custo médio de 200.000 reais por capítulo.

Diretora artística e de programação da emissora, e filha “do homem”, Silvio Santos, Daniela é a maior autoridade no local. O pai não comparece porque dorme cedo, às 22h30. “É que ele acorda todo dia às 5h”, explica a filha. Assediada por repórteres e fotógrafos, ela mal tem tempo de tuitar. Posta uma mensagem no início da noite – “Hoje vamos conhecer um pouco mais da nossa história! Amor e Revolução estreia” –, uma segunda minutos antes de a trama ir ao ar e uma terceira e última ao final, comemorando a audiência no Distrito Federal, onde o SBT chegou a ficar a um ponto da liderança.

A prévia da audiência nacional ou da Grande São Paulo, onde cada ponto do Ibope equivale a 58.000 domicílios, ela prefere não dar. Checa as informações no celular, apertando os botões com os dedos de unhas escuras, e diz apenas que ultrapassou o esperado. “Eu esperava 7 pontos no Ibope.” A audiência vai ditar o futuro de Amor e Revolução, novela que o autor, Tiago Santiago, chegou a oferecer à Globo anos atrás. Inicialmente prevista para abranger o período entre o golpe militar e a guerrilha do Araguaia, ela pode chegar à redemocratização do país, se tiver público. Daniela comemora a possibilidade de gravar o folhetim enquanto está no ar, algo quase inovador em se tratando do SBT, emissora que vinha estreando suas novelas já totalmente gravadas. “A gente pode desenvolver a história segundo aquilo que o espectador quer.`



Publicidade


Outras Notícias


Cachoeiro se prepara para receber mais uma edição da Stone Fair

Bienal Rubem Braga terá encontro nacional de literatura fantástica

Dia D de vacinação contra gripe em Cachoeiro é no sábado (12)

Inscrições no Enem já começaram

Inscrições para o Enem passam de 200 mil em uma hora e meia

São Pedro de Tarantásia, foi um homem pacificador

Diocese de Cachoeiro adota medidas para evitar contágio de gripes

Santa Casa lança campanha para incentivar mulheres a doar sangue

Estudantes são assaltadas na porta de faculdade em Cachoeiro

Homem é morto durante tentativa de assalto em Cachoeiro

Nasceu; e agora? Psicólogos explicam como lidar com a depressão pós-parto

Atenção, motoristas! IPVA de veículos com finais de placas de 6 a 0 começa a vencer

Prorrogado para 10 de maio prazo para renovar contratos do Fies

Campanha de vacinação em todo o país vai até 01 de junho

Conta de luz: Em maio bandeira tarifária mais cara

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.