Consórcio aplica calote milionário e deixa um rastro de prejuízos em Cachoeiro

Foto_200_200

Um consórcio de empresas, formado pela GDK e SINOPEC, contratado pela Samarco Mineração para construir seu terceiro mineroduto – a partir de Minas Gerais, até o Espírito Santo -, deixou um rastro de prejuízos em Cachoeiro de Itapemirim.

Respaldado pelo nome da mineradora, o grupo fechou inúmeros contratos com empresas da cidade, mas não os quitou após dois anos da realização do serviço.

O golpe contra empresários cachoeirenses passa de R$ 1 milhão, mas ainda há pendências a serem avaliadas. Apenas no Serasa, existem mais de 700 processos relacionados a fornecedores de todos os tipos.

Atuante no ramo imobiliário, Adhemar Reis Neto conta que sua firma, a Multi Imóveis, locou mais de trinta unidades para o consórcio e o prejuízo passa de R$ 50 mil.

No momento da entrega, os responsáveis pelas empresas GDK e SINOPEC, que não vinham pagando os aluguéis de seus funcionários, ainda deixaram os imóveis depredados, além de pendências com energia elétrica, água e condomínio.

O empresário conta que, devido à chancela da Samarco, aceitou como garantia o chamado “depósito caução”, para o pagamento das locações. “Acontece que, nos últimos seis meses, os atrasos começaram. Até que todos foram embora e, desde então, perdi o contato com os responsáveis”, explica Adhemar.

Ele aponta, no entanto, que o valor do calote na praça vai muito além. Segundo denuncia, apenas um pecuarista, que alugou galpão para o grupo, teve prejuízo superior a R$ 1 milhão.

“Procurei a direção da Samarco, mas a resposta foi que a empresa não tem qualquer responsabilidade junto aos fornecedores contratados”, disse Ademar.

“Essa é a resposta de uma empresa que terceiriza suas atividades, tem o serviço pronto e tenta se eximir diante dos fatos. Estamos preparando uma ação judicial que chamará ao processo tanto o Consórcio GDK/SINOPEC quanto a Samarco”, garantiu.

Samarco se posiciona:

Através de sua assessoria, a Samarco garantiu o cumprimento de todas as suas obrigações e que efetuou regularmente os pagamentos a todos os seus fornecedores. “A empresa já notificou o consórcio GDK & Sinopec e atua junto aos responsáveis para garantir o cumprimento dos compromissos firmados nos municípios e a resolução das pendências do consórcio”, pontua a nota.

“A Samarco informa, ainda, que tem como fundamentos de sua atuação a proximidade, a ética e a transparência nos relacionamentos nos municípios onde atua”, conclui o comunicado da empresa.

Fonte: O Fato



Publicidade


Outras Notícias


Espírito Santo enfrenta desafio de vencer transmissão vertical do HIV, da hepatite B e da sífilis

Leptospirose é doença grave e transmitida por água contaminada de enchentes

Publicado decreto que autoriza uso do FGTS para compra de próteses

Saiba mais sobre as vacinas contra a gripe disponíveis no Brasil

Santo Apolônio, seu amor a Deus foi concreto

Inscrições para Cachoeirense Ausente de 2018 abrem nesta sexta (23)

Desfile e mostra cultural festejam emancipação de Cachoeiro

“A defesa da água é a defesa da vida”, afirma Papa

São Zacarias, Papa

Mais de cinco mil assinaturas reivindicam asfalto em comunidades de Alegre

São Nicolau de Flue, eremita

Prefeitura de Cachoeiro tenta disciplinar trânsito em cruzamento

Pai é preso suspeito de estuprar a filha de 11 anos em Marataízes

PM encontra pé de maconha dentro de casa em Cachoeiro

Torta Capixaba Orgulho da Nossa Gastronomia

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.