Consórcio aplica calote milionário e deixa um rastro de prejuízos em Cachoeiro

Foto_200_200

Um consórcio de empresas, formado pela GDK e SINOPEC, contratado pela Samarco Mineração para construir seu terceiro mineroduto – a partir de Minas Gerais, até o Espírito Santo -, deixou um rastro de prejuízos em Cachoeiro de Itapemirim.

Respaldado pelo nome da mineradora, o grupo fechou inúmeros contratos com empresas da cidade, mas não os quitou após dois anos da realização do serviço.

O golpe contra empresários cachoeirenses passa de R$ 1 milhão, mas ainda há pendências a serem avaliadas. Apenas no Serasa, existem mais de 700 processos relacionados a fornecedores de todos os tipos.

Atuante no ramo imobiliário, Adhemar Reis Neto conta que sua firma, a Multi Imóveis, locou mais de trinta unidades para o consórcio e o prejuízo passa de R$ 50 mil.

No momento da entrega, os responsáveis pelas empresas GDK e SINOPEC, que não vinham pagando os aluguéis de seus funcionários, ainda deixaram os imóveis depredados, além de pendências com energia elétrica, água e condomínio.

O empresário conta que, devido à chancela da Samarco, aceitou como garantia o chamado “depósito caução”, para o pagamento das locações. “Acontece que, nos últimos seis meses, os atrasos começaram. Até que todos foram embora e, desde então, perdi o contato com os responsáveis”, explica Adhemar.

Ele aponta, no entanto, que o valor do calote na praça vai muito além. Segundo denuncia, apenas um pecuarista, que alugou galpão para o grupo, teve prejuízo superior a R$ 1 milhão.

“Procurei a direção da Samarco, mas a resposta foi que a empresa não tem qualquer responsabilidade junto aos fornecedores contratados”, disse Ademar.

“Essa é a resposta de uma empresa que terceiriza suas atividades, tem o serviço pronto e tenta se eximir diante dos fatos. Estamos preparando uma ação judicial que chamará ao processo tanto o Consórcio GDK/SINOPEC quanto a Samarco”, garantiu.

Samarco se posiciona:

Através de sua assessoria, a Samarco garantiu o cumprimento de todas as suas obrigações e que efetuou regularmente os pagamentos a todos os seus fornecedores. “A empresa já notificou o consórcio GDK & Sinopec e atua junto aos responsáveis para garantir o cumprimento dos compromissos firmados nos municípios e a resolução das pendências do consórcio”, pontua a nota.

“A Samarco informa, ainda, que tem como fundamentos de sua atuação a proximidade, a ética e a transparência nos relacionamentos nos municípios onde atua”, conclui o comunicado da empresa.

Fonte: O Fato



Publicidade


Outras Notícias


Cachoeiro se prepara para receber mais uma edição da Stone Fair

Bienal Rubem Braga terá encontro nacional de literatura fantástica

Dia D de vacinação contra gripe em Cachoeiro é no sábado (12)

Inscrições no Enem já começaram

Inscrições para o Enem passam de 200 mil em uma hora e meia

São Pedro de Tarantásia, foi um homem pacificador

Diocese de Cachoeiro adota medidas para evitar contágio de gripes

Santa Casa lança campanha para incentivar mulheres a doar sangue

Estudantes são assaltadas na porta de faculdade em Cachoeiro

Homem é morto durante tentativa de assalto em Cachoeiro

Nasceu; e agora? Psicólogos explicam como lidar com a depressão pós-parto

Atenção, motoristas! IPVA de veículos com finais de placas de 6 a 0 começa a vencer

Prorrogado para 10 de maio prazo para renovar contratos do Fies

Campanha de vacinação em todo o país vai até 01 de junho

Conta de luz: Em maio bandeira tarifária mais cara

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.