Preso acusado de vender revólver calibre 38 a Wellington

Realengo-seguranca-revolver12-size-598 (1)

A Polícia Civil do Rio prendeu, na manhã desta quinta-feira, o homem acusado de vender a Wellington Menezes de Oliveira, o assassino de 12 crianças no massacre da Escola Tasso da Silveira, o revólver calibre 38 usado no crime. O acusado será apresentado à tarde, na sede da Delegacia de Homicídios (DH), na Barra da Tijuca.

A arma da qual saíram 60 dos 66 tiros disparados por Wellington Menezes de Oliveira no atentado que matou 12 alunos da Escola Municipal Tasso da Silveira foi comprada legalmente pelo segurança Manoel de Freitas Louvise, de 57 anos. O homem, que trabalhava na mesma fábrica que o assassino, foi preso na manhã desta quinta-feira pela Polícia Civil do Rio, em sua casa, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Ele confessou ter vendido o revólver calibre 38 para o colega em setembro de 2010, após dois meses de assédio, pelo valor de 1.200 reais.

“Não fui eu que matei ninguém. Não tinha muito contato com ele. Eu trabalhava na portaria e ele no almoxarifado. Eu não queria vender porque a arma tinha numeração, mas ele prometeu que rasparia. Até onde sei, era para a defesa pessoal dele, que estava se mudando para uma casa em Sepetiba. Se desconfiasse do que ele planejava, eu mesmo o teria denunciado”, argumentou o segurança, que contou ter um neto de 12 anos – mesma faixa etária das vítimas de Wellington.



Publicidade


Outras Notícias


PREFEITURA DE CACHOEIRO E SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE AMPLIA EXAMES

Caminhoneiro sofre sequestro-relâmpago e tem caminhão roubado em Cachoeiro

Motorista morre afogado em Itapemirim

Jovem de 15 anos morre após perder o controle de motocicleta na curva de Boa Vista, em Marataízes.

Público não comparece ao Carnaval de Cachoeiro

São Martiniano - O jovem eremita

Caminhão e carro batem de frente e duas pessoas morrem na BR 101 em Atílio Vivácqua

Campanha coleta mais de 40 toneladas de lixo eletrônico em Cachoeiro

Novas suspeitas de obras superfaturadas em Presidente Kennedy

Santos Rodrigo e Salomão - Sacerdotes mártires

Veículo com marcas de tiros é encontrado abandonado em bairro de Cachoeiro

Soldados do Exército chegam à Cachoeiro e já atuam em pontos estratégicos

Sesa atualiza dados de febre amarela

ProUni: estudantes capixabas ganham mais prazo para apresentar documentos

Fespes vai denunciar Estado Brasileiro a entidades internacionais de direitos humanos pelo caos no ES

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.