Espírito Santo recebe primeiro centro de Formação de Instrutores de Cães-Guia do Brasil

525996801-caes-guia

O primeiro Centro de Formação de Treinadores e Instrutores de Cães-Guia foi inaugurado nesta segunda-feira (3), no campus de Alegre, no Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes). O curso formará treinadores, que terá carga horária de 1.520 horas, na modalidade subsequente, destinado a quem já concluiu o ensino médio, iniciará com 20 vagas e 40 cães a serem treinados.

Para o deputado federal Evair de Melo (PV-ES), que tem em seu currículo acadêmico formação no Ifes e esteve presente no evento, a iniciativa agrega à instituição que tem trabalhado fortemente a melhoria da qualidade de vida dos moradores capixabas. “É mais oportunidade que se abre para que novos profissionais se qualifiquem”.

Já para o coordenador-geral de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência da Secretaria de Desenvolvimento Humano da Presidência da República (SDH/PR), Weberson Santos, esse é o primeiro passo para sanar um dos grandes gargalos que a pessoa com deficiência enfrenta. “Mas não para por ai, vamos trabalhar para que o Brasil seja referencial internacional nesse segmento”.

Ter um cão-guia é a expectativa de muitas pessoas com cegueira ou baixa visão, mas quando os custos para manter o animal são apresentados, geralmente, elas desistem, lembra a diretora-Geral do Instituto, Valdete Tannure. “O custo para manter o animal gira em torno de R$ 30 mil/ano, o que é inviável para muita gente”.

Formação

Os alunos vão adquirir conhecimentos nas áreas de anatomia, fisiologia, comportamento e bem-estar animal, além de aprender técnicas de criação e manejo desses animais. Eles também serão capacitados para selecionar os cães que serão treinados e acompanhar as famílias e duplas formadas, entre outras competências. Depois da conclusão do curso, poderão atuar em centros de treinamento, em instituições de prestação de serviços às pessoas com deficiência, ou ainda como autônomos.

Família socializadora

As famílias socializadoras são voluntários que darão apoio ao curso técnico, acolhendo em suas casas, durante o período de um ano, cães que serão treinados pelos alunos e, posteriormente, doados a pessoas com cegueira ou baixa visão.
As famílias são fundamentais na primeira etapa do processo de preparação dos animais. Isso porque elas atuarão na socialização dos cães, adaptando os bichos a uma rotina e levando-os a todos os lugares possíveis para que se acostumem com o convívio social. Para isso, contarão com apoio de veterinário, psicólogo, treinador de cães-guia, aluno do curso, dentre outros, além de alimentação gratuita para o cão.



Publicidade


Outras Notícias


Espírito Santo enfrenta desafio de vencer transmissão vertical do HIV, da hepatite B e da sífilis

Leptospirose é doença grave e transmitida por água contaminada de enchentes

Publicado decreto que autoriza uso do FGTS para compra de próteses

Saiba mais sobre as vacinas contra a gripe disponíveis no Brasil

Santo Apolônio, seu amor a Deus foi concreto

Inscrições para Cachoeirense Ausente de 2018 abrem nesta sexta (23)

Desfile e mostra cultural festejam emancipação de Cachoeiro

“A defesa da água é a defesa da vida”, afirma Papa

São Zacarias, Papa

Mais de cinco mil assinaturas reivindicam asfalto em comunidades de Alegre

São Nicolau de Flue, eremita

Prefeitura de Cachoeiro tenta disciplinar trânsito em cruzamento

Pai é preso suspeito de estuprar a filha de 11 anos em Marataízes

PM encontra pé de maconha dentro de casa em Cachoeiro

Torta Capixaba Orgulho da Nossa Gastronomia

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.