Campanhas de vacinação começam na próxima semana no Estado

Vacina2polio_sesa_min_bdd-98329

O Espírito Santo deve imunizar pelo menos 218 mil crianças contra paralisia infantil durante a Campanha Nacional de Vacinação contra Poliomielite, que será realizada entre os dias 15 e 31 de agosto. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), a meta é imunizar, nesse período, 95% do público-alvo, estimado em 229.535 crianças com idade entre 6 meses e menos de 5 anos.
No mesmo período será promovida a Campanha de Multivacinação, que tem como objetivo atualizar o cartão de vacinação dos pequenos que têm menos de 5 anos de idade com doses das vacinas que compõem o calendário básico de imunização da criança. Serão disponibilizadas com essa finalidade vacinas que protegem contra tuberculose, hepatite B, difteria, tétano, coqueluche, meningite, pneumonia, diarreia, sarampo, caxumba, rubéola, catapora e hepatite A.
Conforme explica a coordenadora do Programa Estadual de Imunizações, Danielle Grillo, diferentemente da campanha contra poliomielite, que é indiscriminada, ou seja, pretende alcançar o maior número possível de crianças dentro do público-alvo determinado, a de multivacinação não possui uma meta quantitativa. Neste caso, a vacinação é feita de forma seletiva, avaliando-se as carteiras de vacinação das crianças e imunizando somente os pequenos que não estão com o esquema vacinal em dia.
“A oferta de diferentes vacinas simultaneamente é uma experiência bem-sucedida. A eficácia desse tipo de campanha vem sendo comprovada pela redução no número de casos de doenças imunopreveníveis no país, como coqueluche, difteria, meningites, tétano neonatal, tétano acidental, sarampo e a própria poliomielite, que foi eliminada do território brasileiro”, detalha Danielle Grillo.
Segundo ela, o Dia D das campanhas de vacinação contra poliomielite e de multivacinação será realizado no dia 15 de agosto, um sábado. Nesta data, as unidades de saúde abrirão exclusivamente para atender o público-alvo das campanhas, uma facilidade para os pais que trabalham durante a semana e, por isso, não têm tempo de levar o filho até o local de vacinação. “Os pais não devem perder essa oportunidade de imunizar seus filhos contra a paralisia infantil e manter a carteira de vacinação das crianças atualizada, pois a vacinação garante proteção contra doenças graves”, comenta a coordenadora do Programa Estadual de Imunizações.
Poliomielite
Em informe técnico enviado aos Programas Estaduais de Imunizações, o Ministério da Saúde (MS) salienta que desde a realização da Assembleia Mundial da Saúde, em 1988, a incidência mundial de poliomielite reduziu mais de 99%, e o número de países onde a doença é endêmica passou de 125 para 3 (Nigéria, Paquistão e Afeganistão).
Ressalta ainda que a Iniciativa Global de Erradicação da Poliomielite, criada naquele mesmo ano, permitiu que hoje a doença afete um número reduzido de crianças ao redor do mundo. Por outro lado, o documento alerta que essa situação pode mudar rapidamente se a poliomielite não for erradicada, uma vez que a doença tem potencial epidêmico e ainda restam três países endêmicos, o que representa uma ameaça às áreas livres da pólio.
Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), segundo o informe técnico, indicam que entre o ano passado e este ano nove países registraram casos da doença, na maioria das situações decorrente da importação do poliovírus selvagem de outros países. Neste ano, até o dia 16 de junho, foram registrados 28 casos da doença, todos em países endêmicos (25 no Paquistão e três no Afeganistão).
“A poliomielite é uma doença infectocontagiosa causada por um vírus. Ela acomete, em geral, os membros inferiores e tem como principais características a flacidez muscular e pode levar à morte ou causar sequelas paralíticas irreversíveis. O Espírito Santo não registra caso de poliomielite desde 1988, e o Brasil desde 1990. Assim, manter uma cobertura vacinal alta e homogênea em todos os municípios torna-se importante para evitar o risco da reintrodução da doença em nosso território”, detalha Danielle Grillo.

Vacinas disponibilizadas nas campanhas
Poliomielite: protege contra a paralisia infantil
BCG: protege contra formas graves de tuberculose;
Hepatite B: protege contra a hepatite B;
Pentavalente: protege contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e haemophilus influenzae tipo B (bactéria que causa meningite);
Pneumocócica 10-valente: protege contra o pneumococo, bactéria que causa pneumonia e meningite;
Meningocócica C: protege contra o meningococo C, bactéria que causa meningite;
Rotavírus: protege contra diarreia e desidratação;
Tríplice Viral: protege contra sarampo, caxumba e rubéola;
Tríplice Bacteriana (DTP): protege contra difteria, tétano e coqueluche;
Tetraviral: imuniza contra sarampo, caxumba, rubéola e catapora;
Hepatite A: protege contra a hepatite A.



Publicidade


Outras Notícias


Novas suspeitas de obras superfaturadas em Presidente Kennedy

Santos Rodrigo e Salomão - Sacerdotes mártires

Veículo com marcas de tiros é encontrado abandonado em bairro de Cachoeiro

Soldados do Exército chegam à Cachoeiro e já atuam em pontos estratégicos

Sesa atualiza dados de febre amarela

ProUni: estudantes capixabas ganham mais prazo para apresentar documentos

Fespes vai denunciar Estado Brasileiro a entidades internacionais de direitos humanos pelo caos no ES

Procurador-geral da República vem ao Estado para dar aval à 'reforma da PM'

Governo abre processo contra 703 militares envolvidos em ‘revolta armada’

Famílias de militares seguem irredutíveis na porta dos batalhões

Nossa Senhora de Lourdes

São Miguel Febres - Padroeiro dos pedagogos

Atenção! Excesso de peso na mochila pode prejudicar saúde das crianças

Peritos aceleram liberação de cadáveres para receber mais corpos no DML

ARENA VERÃO 2017 COMEÇA NESTE FINAL DE SEMANA EM MARATAÍZES

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.