UM ANO SEM GLAUBER COELHO

Glauber coelho  interior

Há um ano, completado nesta quinta-feira (20), o cenário político perdia uma de suas proeminentes lideranças, o deputado estadual Glauber Coelho (PSB), vítima de um acidente automobilístico ES-482, que liga Cachoeiro de Itapemirim a Alegre, na tarde do dia10 de agosto. Três veículos se envolveram na colisão e outras seis pessoas ficaram feridas.

A tragédia aconteceu no período eleitoral quando o socialista buscava a reeleição à Assembleia Legislativa. Após 10 dias internado, em coma induzida, no Hospital Evangélico, Glauber teve morte cerebral constatada pela equipe médica que o atendia desde o momento de sua internação.

Seguindo a vontade de Glauber Coelho, a família decidiu pela doação dos órgãos. Em toda sua carreira política, Glauber teve a área da saúde e a valorização da vida como umas das suas principais bandeiras.

O velório aconteceu no Pavilhão da Ilha da Luz e o sepultamento, no dia 22, no cemitério municipal do Coronel Borges.

A família
Victor Coelho, irmão do deputado, contou que para a família, o sentimento é de “parecer que foi ontem” a morte de Glauber. “Está fazendo falta como político, pois ele estava no poder para servir e não se servir do poder. Falta como líder, pois ele sabia crescer na carreira política, mas sua equipe crescia junto. Falta como amigo, pois esse vazio não será preenchido por ninguém”, comentou.
No dia do aniversário de Glauber, 11 de junho, foi lançado Instituto que leva seu nome“para que não fosse lembrado apenas como um dia triste. Os sonhos de Glauber continuam vivos através do Instituto e nós agora temos a missão de realizá-los”, disse o irmão Victor.
Sobre outras pessoas envolvidas no acidente, Victor confirmou que sua família não mantém contato. “Apenas procurei saber na época do acidente, através de amigos na Santa Casa, como estava a situação clínica da Sra. Cremilda, para estarmos orando também por ela”, concluiu.
Wander Maciel, assessor de Glauber por 10 anos, e que estava no carro com ele no momento da colisão, contou que ainda se recupera das fraturas sofridas no fêmur, bacia e punhos.
Ele, que hoje integra o “Instituto Glauber Coelho”, contou que ainda irá passar por mais duas intervenções cirúrgicas, mas que o processo de recuperação é grande. “Ainda restam duas cirurgias nos punhos e os procedimentos devem acontecer até o final deste ano”, contou.

A paciente
Cremilda Maria Dias, segundo a assessoria de comunicação da Santa Casa de Cachoeiro, passou por uma cirurgia para realinhamento da coluna cervical, que foi fraturada no acidente. A paciente ficou internada do dia 10 de agosto a 3 de outubro, e depois de estabilizado o quadro, foi transferida para o Hospital Evangélico de Vila Velha.
Posteriormente, foi liberada pela equipe médica da instituição e, hoje, se recupera em casa, mas com sequelas, e fazendo uso de cadeiras de rodas”, informou a assessora de imprensa Suzy Farias Camargo que, no entanto, não repassou o número do telefone da residência da paciente.

O político
A tragédia abalou o Estado, mudou o futuro político de Cachoeiro e lançou incertezas quanto à eleição do ano que vem. Para o advogado e analista político Wilson Márcio Depes,Glauber Coelho seria, sem dúvida, o próximo prefeito de Cachoeiro. “Até mesmo porque a população se sentiria – e ainda se sente – em débito com ele, por tê-lo derrotado na eleição passada”, acredita.
“O futuro político sem essa liderança tão importante – por uma questão de lógica – fica vazio até que outra, do mesmo porte, venha preenchê-lo”, ponderou Depes.
O presidente da Assembleia Legislativa do Espírito Santo, Theodorico Ferraço (DEM), destacou o dinamismo de Glauber e apontou sua constante atuação política, em diversos setores, como sua principal qualificação entre os quadros no estado. “É com tristeza que lembramos essa data onde a família, Cachoeiro e o Espírito Santo perderam um filho de forma trágica”, comentou.
“Apesar de jovem, já tinha um grande passado na vida pública e só tenho a reiterar que se tratou de uma perda irreparável, principalmente pela representatividade de Cachoeiro no parlamento. Era um político brilhante”, destacou Ferraço.
Para o ex-governador Renato Casagrande (PSB), Glauber se constituía numa “força jovem” com grande futuro político tanto pelo carisma quanto pelo dinamismo no dia a dia e sempre tentando resolver “tudo a tempo e hora”. “Perdeu Cachoeiro de Itapemirim, o sul do estado e por que não dizer, a política capixaba. Com certeza tinha um grande futuro pela frente”, completou.

Vida pública
Glauber Coelho foi eleito deputado estadual em 2010, pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB). Em seu primeiro mandato Ales, era o 2º vice-presidente da Mesa Diretora, membro efetivo das comissões de Saúde, Agricultura e Meio Ambiente e vice-presidente da Frente Parlamentar de Apoio à Educação no Campo.
Na Assembleia, também assumiu a 2ª Secretaria da Mesa Diretora e presidiu a Frente Parlamentar Saúde para Todos.

Perfil
Glauber da Silva Coelho, 40 anos, nasceu em Cachoeiro de Itapemirim, filho de José Affonso Coelho e Vilma da Silva Coelho. Ele era casado com Fernanda Aguilar Coelho e tinha uma filha de dois anos e três meses.
Formado em Direito, Glauber Coelho era pós-graduado em Gestão Pública e foi por três vezes vereador em Cachoeiro de Itapemirim. Dos seus 40 anos, 15 foram dedicados à política.
Além de vereador, foi secretário municipal de Saúde, da Criança, Adolescente e Juventude; Agricultura; Defesa Civil e Meio Ambiente.

Homenagens
Tribuna Glauber Coelho
A Assembleia Legislativa do Espírito Santo denominou de “Glauber Coelho” a Tribuna do plenário Dirceu Cardoso. A proposição foi da deputada Janete de Sá (PMN). “Glauber foi uma colega com uma história muito bonita no legislativo de Cachoeiro e também nos três anos que esteve aqui. Com certeza ele seria reeleito e poderia disputar as eleições de seu município com a possibilidade de êxito. Foi uma perda grandiosa para o povo da região e também para esta Casa. Como forma de prestigiar este grande parlamentar, que tinha um futuro brilhante, nós estamos prestigiando ele numa área nobre da Casa, que é esta tribuna”, salientou na ocasião, a parlamentar.

Instituto Glauber Coelho
De acordo com o presidente do IGC, Victor Coelho, irmão de Glauber, a ideia da criação do instituto surgiu quando o deputado ainda era vivo. A instituição terá projetos em todas as áreas que Glauber priorizava: saúde, educação, cultura, esporte, meio ambiente, ação social e gestão pública, atuando com excelência e tratamento diferenciado. A intenção é que o passar do tempo todas as causas sejam “abraçadas”.
“Iremos dando um passo de cada vez, de acordo com nossas possibilidades, tudo com muita responsabilidade e transparência. Queremos servir de referência para quem quer exercer a missão do voluntariado e ser um facilitador, um elo entre o cidadão mais carente e os serviços públicos”, afirma Victor Coelho.

Fonte: O Fato



Publicidade


Outras Notícias


Novas suspeitas de obras superfaturadas em Presidente Kennedy

Santos Rodrigo e Salomão - Sacerdotes mártires

Veículo com marcas de tiros é encontrado abandonado em bairro de Cachoeiro

Soldados do Exército chegam à Cachoeiro e já atuam em pontos estratégicos

Sesa atualiza dados de febre amarela

ProUni: estudantes capixabas ganham mais prazo para apresentar documentos

Fespes vai denunciar Estado Brasileiro a entidades internacionais de direitos humanos pelo caos no ES

Procurador-geral da República vem ao Estado para dar aval à 'reforma da PM'

Governo abre processo contra 703 militares envolvidos em ‘revolta armada’

Famílias de militares seguem irredutíveis na porta dos batalhões

Nossa Senhora de Lourdes

São Miguel Febres - Padroeiro dos pedagogos

Atenção! Excesso de peso na mochila pode prejudicar saúde das crianças

Peritos aceleram liberação de cadáveres para receber mais corpos no DML

ARENA VERÃO 2017 COMEÇA NESTE FINAL DE SEMANA EM MARATAÍZES

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.