Samarco terá mais 15 dias para depositar R$ 2 bilhões em fundo

Rio-doce

A mineradora Samarco, de propriedade da Vale e da BHP Billiton, terá mais 15 dias para depositar R$ 2 bilhões dos R$ 20 bilhões previstos pelo rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG). A medida foi anunciada pelo advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, que participou, juntamente com representantes dos governos de Minas Gerais e do Espírito Santo, de uma reunião com a empresa nesta terça-feira (19). Antes, a Samarco tinha até essa quarta-feira (20) para depositar os valores em conta judicial, como havia determinado a Justiça Federal.

Em entrevista ao portal da revista Exame, o chefe da Advocacia-Geral da União (AGU), que representa o governo Federal no caso, declarou que a opção por mais prazo foi pra decidir o que será feito exatamente com os recursos. No dia anterior, as mineradoras responsáveis pelo maior desastre ambiental da história do País demonstraram a intenção de celebrar um acordo judicial, se comprometendo a recuperar a região atingida pelo desastre. Além das cidades vizinhas à barragem que rompeu, a onda de rejeitos de lama atingiu o leito do rio Doce nos dois estados e chegou ao litoral capixaba se espalhando pelo mar.

Pela decisão da 12ª Vara da Justiça Federal de Belo Horizonte, onde tramita a ação civil pública movida pelos estados e a União contra a Samarco, Vale e BHP, as mineradoras deveriam depositar os R$ 2 bilhões para a implementação do plano inicial de recuperação ambiental. O acordo é visto com resistência por setores da sociedade civil e parte dos ambientalistas, uma vez que a tragédia segue em curso, ou seja, os danos sócioambientais ainda cessaram. Desde o dia do acidente, 5 de novembro, até hoje, a onda de lama se movimenta, agora pelo mar. A pluma de resíduos atinge uma faixa de 66 quilômetros quadrados no litoral capixaba, de acordo com os dados mais recentes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Em entrevista coletiva nessa segunda-feira (18), o advogado-geral da União afirmou que as mineradoras terão que cumprir pelo menos três requisitos para que qualquer acordo seja aceito: apresentar um plano detalhado das ações que serão adotadas para revitalizar o rio Doce; comprovar como tais medidas serão financiadas no longo prazo; e demonstrar como a implantação das propostas será administrada de forma eficiente, transparente e independente. Além da anuência dos signatários da ação judicial, o acordo só deve ser celebrado se for aprovado pelo Ministério Público e pela Justiça.

A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, que também participou da entrevista coletiva, lembrou que o acordo também deverá incluir as medidas de compensação e indenização dos afetados pelo desastre. Por outro lado, inicialmente não serão objeto de negociação nem as multas aplicadas pelo Ibama nem as responsabilidades criminais dos responsáveis pelo rompimento da barragem. A Polícia Federal indiciou sete pessoas, entre eles, o diretor-presidente da Samarco, Ricardo Vescovi de Aragão, e as pessoas jurídicas da Samarco e Vale no inquérito policial que trata do crime ambiental.

Em relação à postura dos estados, no caso do governo capixaba, toda a movimentação é para a defesa de uma composição com as empresas responsáveis pela tragédia. No mês passado, o governador Paulo Hartung (PMDB) defendeu um acordo como o “melhor caminho” para definir as ações e destacou o interesse das empresas na proposta. Em encontro com a presidente Dilma Rousseff, o governo capixaba chegou a entregar um plano de recuperação feito pelo Instituto Terra, do fotógrafo Sebastião Salgado, quem propôs a criação de um fundo. O posicionamento de Salgado em relação ao crime é alvo de críticas e protestos de setores da sociedade. Há anos seus projetos são patrocinados pela Vale.



Publicidade


Outras Notícias


Novas suspeitas de obras superfaturadas em Presidente Kennedy

Santos Rodrigo e Salomão - Sacerdotes mártires

Veículo com marcas de tiros é encontrado abandonado em bairro de Cachoeiro

Soldados do Exército chegam à Cachoeiro e já atuam em pontos estratégicos

Sesa atualiza dados de febre amarela

ProUni: estudantes capixabas ganham mais prazo para apresentar documentos

Fespes vai denunciar Estado Brasileiro a entidades internacionais de direitos humanos pelo caos no ES

Procurador-geral da República vem ao Estado para dar aval à 'reforma da PM'

Governo abre processo contra 703 militares envolvidos em ‘revolta armada’

Famílias de militares seguem irredutíveis na porta dos batalhões

Nossa Senhora de Lourdes

São Miguel Febres - Padroeiro dos pedagogos

Atenção! Excesso de peso na mochila pode prejudicar saúde das crianças

Peritos aceleram liberação de cadáveres para receber mais corpos no DML

ARENA VERÃO 2017 COMEÇA NESTE FINAL DE SEMANA EM MARATAÍZES

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.