O último personagem popular de Cachoeiro

Nenem

O filho do lavrador Hermogeneo Lucas e da professora do ensino primário, Emilia Isabel Lucas, nascido em 15 de setembro de 1940, na localidade de Santa Rita, município de Rio Novo do Sul, é, hoje, a última figura antológica popular de Cachoeiro de Itapemirim. Hermogeneo Lucas Filho, o “Neném”, prestes a completar 76 anos, atravessou várias gerações de cachoeirenses com seu jeito ‘diferente’ que sempre, no mínimo, atraiu a curiosidade dos populares pelo seu modo, digamos, peculiar no dia a dia da cidade.

Hoje, os passos já não são tão largos e rápidos pelas ruas e becos, afinal, o tempo cobra pedágio nessa passagem pelo trem da vida, mas a disposição ainda é a mesma. Às vezes absorto, olhando o horizonte; outras tentando ‘ordenar’ o trânsito, Neném leva a vida como o mais livre dos pássaros. Dia e hora não fazem a menor diferença.

O ES de FATO, segundo a família, foi o primeiro veículo da mídia a desvendar um pouco dessa mística que o personagem impôs, de forma simples, ao longo do tempo, no imaginário do povo.

Na casa onde vive com os irmãos, Arliede de Moraes Lucas, 81 anos, e Deraldo de Moraes Lucas, 77, na rua Jerônimo Ribeiro, no bairro Amarelo, Neném é cercado de mimos.

“A nossa família sempre viveu de forma simples e éramos seis irmãos. Papai trabalhava na roça e minha mãe procurava ensinar as primeiras letras para as crianças da localidade onde morávamos”, lembra.

Sobre o irmão, ela disse que desde os primeiros dias de nascido a família percebeu que a criança era portadora de algum tipo de deficiência.

“Ele quase não se mexia na cama e quando meus pais procuraram o médico, coisa difícil naquela época, foi diagnosticado que o Hermogeneo havia nascido com uma pequena deformidade na região do crânio, mas o doutor disse que ele seria portador de deficiência da fala por sequela cerebral”, lembra Arliede.

Mudança para Cachoeiro

Morando há 60 anos no mesmo local, a irmã conta que Neném tinha 16 anos naquela época, mas que sem recursos nunca houve qualquer tipo de tratamento para tentar reverter o problema.

“Mesmo assim, ele era um adolescente atento e sempre ajudava as freiras do ‘Cristo Rei’ a carregar as compras de mantimentos para a escola. Nós tentamos ajuda da Apae, mas Neném frequentou a entidade por menos de um ano. Ele nunca gostou de ficar em locais fechados e com pessoas estranhas. Hoje, ele está mais socializado e acho que isso veio com a idade”, contou.

Arliede recorda de um episódio que marcou, de forma negativa a sua vida: foi após o irmão, na ocasião com 30 anos, derrubar uma idosa e o delegado de então – ela não se recorda do nome – mandar que Neném ficasse recolhido em casa.

“Meu pai, homem rústico, acabou colocando uma corrente com cadeado nas pernas dele, mas mesmo assim não evitava as fugas para a rua. Um dia, uma das freiras mandou serrar as correntes”, relatou.

Inusitado

O irmão Deraldo se diverte ao lembrar as peripécias de Neném quando o assunto era as corridas de rua, e conta que na década de 80 – a data exata foge da mente -, numa seletiva para a tradicional corrida de São Silvestre, em São Paulo, os participantes da prova partiram da localidade de Safra com destino ao centro de Cachoeiro e com Neném ‘puxando’ o pelotão. “Quando chegou na altura do bairro União, um caminhoneiro deu carona para o meu irmão que voltou ao encontro dos corredores. Se misturou ao grupo, de novo, e chegou cerca de 10 minutos de vantagem ao pódio, na praça Jerônimo Monteiro”, revelou.

“E essa não foi a única vez em que os concorrentes ficavam para trás com larga vantagem para o Neném. Acho que ele nasceu para correr. Mas hoje, com a idade, já está mais acomodado, afinal o tempo passa para todos nós”, pondera.

“A única coisa que ele continua a fazer é cantarolar, do seu jeito, as canções de sucesso, principalmente de Roberto Carlos. Bastar ouvir uma ou duas vezes para repetir, no ritmo, uma determinada música. Neném é mais esperto do que pensamos”, conclui.

Fonte: O Fato



Publicidade


Outras Notícias


Novas suspeitas de obras superfaturadas em Presidente Kennedy

Santos Rodrigo e Salomão - Sacerdotes mártires

Veículo com marcas de tiros é encontrado abandonado em bairro de Cachoeiro

Soldados do Exército chegam à Cachoeiro e já atuam em pontos estratégicos

Sesa atualiza dados de febre amarela

ProUni: estudantes capixabas ganham mais prazo para apresentar documentos

Fespes vai denunciar Estado Brasileiro a entidades internacionais de direitos humanos pelo caos no ES

Procurador-geral da República vem ao Estado para dar aval à 'reforma da PM'

Governo abre processo contra 703 militares envolvidos em ‘revolta armada’

Famílias de militares seguem irredutíveis na porta dos batalhões

Nossa Senhora de Lourdes

São Miguel Febres - Padroeiro dos pedagogos

Atenção! Excesso de peso na mochila pode prejudicar saúde das crianças

Peritos aceleram liberação de cadáveres para receber mais corpos no DML

ARENA VERÃO 2017 COMEÇA NESTE FINAL DE SEMANA EM MARATAÍZES

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.