Ministro da Indústria lança projetos de incentivo às pequenas empresas do Espírito Santo

Marcos-pereira-2

O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, esteve na Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes) na tarde desta quinta-feira (4) para lançar dois programas de incentivo às micro, pequenas e médias empresas capixabas.

O programa Brasil Mais Produtivo busca aumentar a produtividade das empresas, reduzir os custos de produção e fortalecer o desenvolvimento regional do Brasil. Além do Espírito Santo, o programa já foi lançado no Amazonas e também no Maranhão.

“Nesse programa vamos identificar algumas empresas, no caso do Espírito Santo nos setores de metalmecânica e bebidas e alimentos, que têm entre 11 e 200 funcionários. A ideia dele é fazer consultoria e reavaliar o processo produtivo dessas indústrias.”, comentou Marcos Pereira.

Ao todo, são 500 técnicos do Ministério e também do Sebrae que prestarão consultoria às empresas. “Queremos melhorar o ganho de produtividade em no mínimo 20%”, declarou. O custo total da consultoria será de R$ 18 mil. Um total de R$ 3 mil será custeado pela empresa e os demais R$ 15 mil serão custeados pelas demais entidades associadas.

Questionado sobre o porquê do foco nas micro e pequenas empresas, Marcos Pereira afirmou que as grandes companhias já possuem um departamento de comércio exterior.

Já a outra iniciativa é denominada Cultura Exportadora. A ideia é criar ferramentas de acesso simples, que visam a facilitar a inserção das empresas brasileiras de pequeno porte no mercado internacional.

O presidente do Sistema Findes, Marcos Guerra, comemorou a iniciativa do governo federal, que considerou um “avanço muito grande”.“As micro, pequenas e médias empresas passarão a ser qualificadas para atuar no mercado internacional”, disse. Para Guerra, “infelizmente ainda não temos uma cultura exportadora” nessa categoria.

Acordo com a Argentina e Flexibilização das leis trabalhistas

Na ocasião, o ministro Marcos Pereira aproveitou para comentar sobre o memorando que assinou nesta semana com o ministro de Produção da Argentina. Pelo tratado, o certificado que prova que os produtos foram produzidos dentro da zona do Mercosul será totalmente digitalizado.

“Hoje, em papel, o certificado demora de 1 a 3 dias. Quando implementarmos o tempo será reduzido para 30 minutos. Vai evitar burocracia e corrupção”, declarou Pereira, que também se disse favorável a algumas reformas na esfera trabalhista.

Na visão do ministro, uma das coisas que aumenta o custo Brasil é a legislação. “Considero sim que precisa ser revista. Mas estamos discutindo com o Ministério dos Transportes e a Casa Civil”, disse. Marcos Pereira declarou ainda que o intuito não é tirar direitos dos trabalhadores, mas aumentar a segurança jurídica dos investidores. Para tanto, defendeu medidas como a ampliação da terceirização.



Publicidade


Outras Notícias


Cachoeiro se prepara para receber mais uma edição da Stone Fair

Bienal Rubem Braga terá encontro nacional de literatura fantástica

Dia D de vacinação contra gripe em Cachoeiro é no sábado (12)

Inscrições no Enem já começaram

Inscrições para o Enem passam de 200 mil em uma hora e meia

São Pedro de Tarantásia, foi um homem pacificador

Diocese de Cachoeiro adota medidas para evitar contágio de gripes

Santa Casa lança campanha para incentivar mulheres a doar sangue

Estudantes são assaltadas na porta de faculdade em Cachoeiro

Homem é morto durante tentativa de assalto em Cachoeiro

Nasceu; e agora? Psicólogos explicam como lidar com a depressão pós-parto

Atenção, motoristas! IPVA de veículos com finais de placas de 6 a 0 começa a vencer

Prorrogado para 10 de maio prazo para renovar contratos do Fies

Campanha de vacinação em todo o país vai até 01 de junho

Conta de luz: Em maio bandeira tarifária mais cara

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.