Ministro da Indústria lança projetos de incentivo às pequenas empresas do Espírito Santo

Marcos-pereira-2

O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, esteve na Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes) na tarde desta quinta-feira (4) para lançar dois programas de incentivo às micro, pequenas e médias empresas capixabas.

O programa Brasil Mais Produtivo busca aumentar a produtividade das empresas, reduzir os custos de produção e fortalecer o desenvolvimento regional do Brasil. Além do Espírito Santo, o programa já foi lançado no Amazonas e também no Maranhão.

“Nesse programa vamos identificar algumas empresas, no caso do Espírito Santo nos setores de metalmecânica e bebidas e alimentos, que têm entre 11 e 200 funcionários. A ideia dele é fazer consultoria e reavaliar o processo produtivo dessas indústrias.”, comentou Marcos Pereira.

Ao todo, são 500 técnicos do Ministério e também do Sebrae que prestarão consultoria às empresas. “Queremos melhorar o ganho de produtividade em no mínimo 20%”, declarou. O custo total da consultoria será de R$ 18 mil. Um total de R$ 3 mil será custeado pela empresa e os demais R$ 15 mil serão custeados pelas demais entidades associadas.

Questionado sobre o porquê do foco nas micro e pequenas empresas, Marcos Pereira afirmou que as grandes companhias já possuem um departamento de comércio exterior.

Já a outra iniciativa é denominada Cultura Exportadora. A ideia é criar ferramentas de acesso simples, que visam a facilitar a inserção das empresas brasileiras de pequeno porte no mercado internacional.

O presidente do Sistema Findes, Marcos Guerra, comemorou a iniciativa do governo federal, que considerou um “avanço muito grande”.“As micro, pequenas e médias empresas passarão a ser qualificadas para atuar no mercado internacional”, disse. Para Guerra, “infelizmente ainda não temos uma cultura exportadora” nessa categoria.

Acordo com a Argentina e Flexibilização das leis trabalhistas

Na ocasião, o ministro Marcos Pereira aproveitou para comentar sobre o memorando que assinou nesta semana com o ministro de Produção da Argentina. Pelo tratado, o certificado que prova que os produtos foram produzidos dentro da zona do Mercosul será totalmente digitalizado.

“Hoje, em papel, o certificado demora de 1 a 3 dias. Quando implementarmos o tempo será reduzido para 30 minutos. Vai evitar burocracia e corrupção”, declarou Pereira, que também se disse favorável a algumas reformas na esfera trabalhista.

Na visão do ministro, uma das coisas que aumenta o custo Brasil é a legislação. “Considero sim que precisa ser revista. Mas estamos discutindo com o Ministério dos Transportes e a Casa Civil”, disse. Marcos Pereira declarou ainda que o intuito não é tirar direitos dos trabalhadores, mas aumentar a segurança jurídica dos investidores. Para tanto, defendeu medidas como a ampliação da terceirização.



Publicidade


Outras Notícias


Novas suspeitas de obras superfaturadas em Presidente Kennedy

Santos Rodrigo e Salomão - Sacerdotes mártires

Veículo com marcas de tiros é encontrado abandonado em bairro de Cachoeiro

Soldados do Exército chegam à Cachoeiro e já atuam em pontos estratégicos

Sesa atualiza dados de febre amarela

ProUni: estudantes capixabas ganham mais prazo para apresentar documentos

Fespes vai denunciar Estado Brasileiro a entidades internacionais de direitos humanos pelo caos no ES

Procurador-geral da República vem ao Estado para dar aval à 'reforma da PM'

Governo abre processo contra 703 militares envolvidos em ‘revolta armada’

Famílias de militares seguem irredutíveis na porta dos batalhões

Nossa Senhora de Lourdes

São Miguel Febres - Padroeiro dos pedagogos

Atenção! Excesso de peso na mochila pode prejudicar saúde das crianças

Peritos aceleram liberação de cadáveres para receber mais corpos no DML

ARENA VERÃO 2017 COMEÇA NESTE FINAL DE SEMANA EM MARATAÍZES

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.