Recusada nova proposta de acordo e bancários continuam em greve

Brasil_greve_dos_bancarios_20160906_05-194726

A primeira semana de greve dos bancários terminou com quatro dias de movimento (6 a 9), e a paralisação permanece sem previsão de término. Após mais uma rodada de negociações, realizada na manhã desta sexta-feira (9), o Comando Nacional dos Bancários recusou a proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). Foi oferecido um reajuste de 7% nos salários, na PLR e nos auxílios refeição, alimentação e creche, mais abono de R$ 3,3 mil.
O coordenador-geral do Sindicato dos Bancários do Estado (Sindibancários-ES), Jonas Freire, concordou com a rejeição do Comando Nacional. “Nós avaliamos que a proposta não atende ao que precisamos. Ela está muito abaixo da inflação, é um retrocesso para os bancários, já que o abono não é incorporado aos salários e nem tem reflexo nas garantias trabalhistas, como 13º, férias e fundo de garantia”.
Freire confirmou que uma nova reunião foi marcada com a Fenaban. “A expectativa é que a Fenaban nos encaminhe uma proposta próximo do que estamos pedindo. Já que eles pediram uma nova rodada de negociações, para a próxima terça (13), às 14h em São Paulo, até lá continuamos com a greve.
A categoria tem aderido à greve e o número de agências participantes está aumentando. Os primeiros dias aderiram 314 agências no Espírito Santo: 178 unidades paralisadas na Grande Vitória e 136 no interior. O total nacional também chegou a 8.454 agências.
A greve teve inicio na terça-feira (6) porque a reivindicação dos bancários não foi atendida. Eles pedem a reposição da inflação do período e mais 5% de aumento real, valorização do piso salarial, no valor do salário mínimo calculado pelo Dieese (R$ 3.940,24 em junho), PLR de três salários mais R$ 8.317,90, combate às metas abusivas, ao assédio moral e sexual, fim da terceirização, mais segurança e melhores condições de trabalho. A defesa do emprego também é uma prioridade, assim como a proteção das empresas públicas e dos direitos da classe trabalhadora.
A Fenaban apresentou uma primeira proposta no dia 29 de agosto de reajuste de 6,5% para salários e benefícios, e abono de R$ 3 mil. Porém foi recusada pela categoria já que a oferta representaria perda de 2,8% para os bancários, já que a inflação projetada para o período é de 9,57%.



Publicidade


Outras Notícias


Novas suspeitas de obras superfaturadas em Presidente Kennedy

Santos Rodrigo e Salomão - Sacerdotes mártires

Veículo com marcas de tiros é encontrado abandonado em bairro de Cachoeiro

Soldados do Exército chegam à Cachoeiro e já atuam em pontos estratégicos

Sesa atualiza dados de febre amarela

ProUni: estudantes capixabas ganham mais prazo para apresentar documentos

Fespes vai denunciar Estado Brasileiro a entidades internacionais de direitos humanos pelo caos no ES

Procurador-geral da República vem ao Estado para dar aval à 'reforma da PM'

Governo abre processo contra 703 militares envolvidos em ‘revolta armada’

Famílias de militares seguem irredutíveis na porta dos batalhões

Nossa Senhora de Lourdes

São Miguel Febres - Padroeiro dos pedagogos

Atenção! Excesso de peso na mochila pode prejudicar saúde das crianças

Peritos aceleram liberação de cadáveres para receber mais corpos no DML

ARENA VERÃO 2017 COMEÇA NESTE FINAL DE SEMANA EM MARATAÍZES

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.