Prefeito de Itapemirim é denunciado por superfaturamento na compra de computadores

Download

O Ministério Público Estadual (MPES) denunciou o prefeito de Itapemirim (região litoral sul), Luciano de Paiva Alves (Pros), por fraude na licitação para aquisição de computadores. Na denúncia protocolizada nessa quarta-feira (21), o procurador de Justiça Especial, Fábio Vello Correa, aponta superfaturamento na compra realizada em outubro do ano passado. Segundo o MPES, a prefeitura teria gastos 25% a mais do que o valor previsto na ata de registro de preços, causando um prejuízo total de R$ 352 mil aos cofres públicos.

“No caso em questão, não foi demonstrado, no processo administrativo, vantagem para a administração, tanto no que se refere à adesão à ata quanto ao preço estipulado para a contratação, o que demonstra claramente a intenção dos denunciados em fraudar a licitação instaurada para a aquisição de microcomputadores de gabinete ultra portáteis para o município de Itapemirim, elevando arbitrariamente os preços, em prejuízo ao erário público”, cita a ação.

Consta no processo que Doutor Luciano foi responsável pela assinatura do termo de adesão à ata, originalmente realizada pela Prefeitura de Cariacica com a empresa Supriservice Informática, em outubro de 2014. O acordo em Itapemirim teria a anuência do prefeito e da então secretária de Governo, Rúbia Rufino Sales, ambos denunciados pelo MPES. Na época da ata, a empresa se comprometeu a vender os equipamentos pelo valor de R$ 3.899,00, porém, a prefeitura de Itapemirim teria pago R$ 4.896,20 por cada uma das 350 unidades adquiridas, resultando em superfaturamento na compra.

“Considerando o amplo conjunto probatório carreado nos autos, vislumbra-se a clara existência de indícios de autoria e de materialidade da prática do crime de fraude em licitação instaurada para a aquisição de bens ou mercadorias, em prejuízo ao erário público (artigo 96 da Lei nº 8.666/1993), perpetrado pelos denunciados. […] A materialidade delitiva do crime em comento encontra-se sobejamente demonstrada pela documentação que instrui a presente denúncia”, afirma Fábio Vello.

Além do prefeito e da ex-secretária, foram denunciados os sócios da empresa (Marcelo Verbo dos Santos e Maria da Penha Soroldani Siqueira). Caso sejam condenados, a pena pelo crime de fraude em licitação varia de três a seis anos de detenção, além do pagamento de multa. A denúncia será analisada pelas Câmaras Criminais Reunidas, do Tribunal de Justiça do Estado (TJES).



Publicidade


Outras Notícias


Cachoeiro se prepara para receber mais uma edição da Stone Fair

Bienal Rubem Braga terá encontro nacional de literatura fantástica

Dia D de vacinação contra gripe em Cachoeiro é no sábado (12)

Inscrições no Enem já começaram

Inscrições para o Enem passam de 200 mil em uma hora e meia

São Pedro de Tarantásia, foi um homem pacificador

Diocese de Cachoeiro adota medidas para evitar contágio de gripes

Santa Casa lança campanha para incentivar mulheres a doar sangue

Estudantes são assaltadas na porta de faculdade em Cachoeiro

Homem é morto durante tentativa de assalto em Cachoeiro

Nasceu; e agora? Psicólogos explicam como lidar com a depressão pós-parto

Atenção, motoristas! IPVA de veículos com finais de placas de 6 a 0 começa a vencer

Prorrogado para 10 de maio prazo para renovar contratos do Fies

Campanha de vacinação em todo o país vai até 01 de junho

Conta de luz: Em maio bandeira tarifária mais cara

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.