Novos prefeitos do interior podem ganhar força no cenário estadual

Novos_prefeitos

Se na Grande Vitória os prefeitos eleitos e reeleitos já tomam posse sonhando em um dia chegar ao Palácio Anchieta, no interior, as lideranças também podem passar a ser influentes no jogo político do Estado. Mas tudo vai depender de seus mandatos à frente de cidades politicamente estratégicas. A maioria é de prefeitos de primeira viagem o que pode trazer oxigenação às movimentações futuras. Mas os experientes também têm seu lugar.

O principal deles é Guerino Zanon (PMDB), que assume o quarto mandato em Linhares. Depois de uma gestão desastrosa de Nozinho Corrêa (PRTB), que venceu o peemedebista em 2012, a vida de Zanon ficou fácil. O problema será pegar um município quebrado e conseguir fazer uma boa gestão que garanta a visibilidade política que o peemedebista precisa para voos mais altos além da Assembleia – para onde tem sido seu destino na alternância com a prefeitura.

Outra liderança experiente que volta a uma importante prefeitura do interior é Jones Cavaglieri (SD), que desta vez é cabeça da chapa vitoriosa para a prefeitura de Aracruz, norte do Estado, e que pretende fazer uma gestão sintonizada com a rua. Cavaglieri cresce politicamente se tiver um bom desempenho na gestão, mas tem de conviver com a sombra do ex-prefeito Ademar Devens, que tem um capital político considerável no município.

Ainda no norte, São Mateus traz a grande novidade da eleição deste ano. O empresário Daniel da Açaí (PSDB) tem um problema muito sério para resolver, que é a influência da Aracruz Celulose (Fíbria) nas relações políticas e sociais da região. Mesmo problema de Francisco Vervloet (PSDB), o Chicão, no município vizinho, Conceição da Barra. Como vão lidar com essa influência e trazer resultados para os eleitores locais é que vai determinar o tamanho dessas lideranças no jogo político do Estado.

No noroeste, chamou a atenção dos meios políticos a eleição de Sérgio Meneguelli (PMDB), superando dois nomes fortes da disputa – Tadeu Marino (PSB) e Cirilo de Tarso (PSD) –, o que gerou em torno de seu primeiro mandato uma grande expectativa. Com o município sofrendo ainda com os efeitos da crise hídrica que assolou a região como um todo e o crime ambiental da Samarco que contaminou o Rio Doce, as ações do prefeito devem ser acompanhadas com interesse pelas lideranças políticas do Estado.

No sul do Estado, o destaque é Victor Coelho (PSB), que mesmo eleito no palanque do ex-governador Renato Casagrande, já mostrou interesse em aproximar-se do governador Paulo Hartung (PMDB) para facilitar sua vida na prefeitura. O problema é que Cachoeiro de Itapemirim, será um desafio para o novato, que precisará superar as dificuldades financeiras para se sobressair.

Além de Hartung, o prefeito também já fez aproximação com vários grupos da cidade, incluindo, o do presidente da Assembleia Theodorico Ferraço (DEM), que pode facilitar sua vida e ampliar sua imagem para além da região.



Publicidade


Outras Notícias


Bienal Rubem Braga terá encontro nacional de literatura fantástica

Dia D de vacinação contra gripe em Cachoeiro é no sábado (12)

Inscrições no Enem já começaram

Inscrições para o Enem passam de 200 mil em uma hora e meia

São Pedro de Tarantásia, foi um homem pacificador

Diocese de Cachoeiro adota medidas para evitar contágio de gripes

Santa Casa lança campanha para incentivar mulheres a doar sangue

Estudantes são assaltadas na porta de faculdade em Cachoeiro

Homem é morto durante tentativa de assalto em Cachoeiro

Nasceu; e agora? Psicólogos explicam como lidar com a depressão pós-parto

Atenção, motoristas! IPVA de veículos com finais de placas de 6 a 0 começa a vencer

Prorrogado para 10 de maio prazo para renovar contratos do Fies

Campanha de vacinação em todo o país vai até 01 de junho

Conta de luz: Em maio bandeira tarifária mais cara

São Floriano, padroeiro dos bombeiros

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.