Associação dos Oficiais afirma que não planejou movimento dos familiares e se diz surpresa com multa

Major-rogerio-presidente-associacao-oficiais

O major e presidente da Associação dos Oficiais do Estado, Rogério Fernandes, destacou que o movimento realizado pelos familiares e simpatizantes da Polícia Militar do Espírito Santo não tem ligação com a associação. De acordo com ele, em entrevista ao jornal Espírito Santo no Ar, da TV Vitória, na manhã desta segunda-feira (6), mesmo não sendo organizado por eles, a associação se solidariza com o movimento.

“Essa manifestação não tem participação dos policiais e nem das associações. É uma manifestação organizada pelos familiares dos policiais militares. São esposas, filhos, irmãos, colegas, simpatizantes do movimento que entendem que a remuneração do policial capixaba é a pior remuneração do Estado Federado Brasileiro”, disse Fernandes.

Sobre a multa de R$ 100 mil para as associações, caso as manifestações continuem, o major afirmou que ainda não foram notificados sobre a decisão e estão aguardando para tomarem as providências. Segundo ele, o departamento jurídico já foi acionado.

“As associações, até agora, se surpreenderam com a declaração do secretário [de segurança, André Garcia] sobre uma notificação de uma multa aplicada, pois nenhuma de nós foi notificada. Não sabemos do teor disso e aguardaremos essa notificação. Já estamos demandando o nosso departamento jurídico. Não aceitaremos nenhuma decisão arbitrária contra as associações, pois esse movimento não é patrocinado pelas associações de militares”, explicou o major.

O presidente da Associação dos Oficiais também afirmou que o governo foi alertado sobre a situação e sobre a possibilidade de um movimento como esse. “A gente tem dito que quem tem fome tem pressa, e a associação de oficiais se solidariza, até por questões humanitárias, com essas manifestações. Queremos dizer que desde o ano de 2016, quando eu assumi a associação, nós estamos negociando com o governo questões que não geram repercussão financeira e até agora nada do que nós apresentamos, até projetos que reduziam custos, não fomos atendidos. É sempre um depois. Ressalto também que alertamos ao secretário de Segurança que esse movimento poderia acontecer, mas não fomos ouvidos”, destacou.



Publicidade


Outras Notícias


Bienal Rubem Braga terá encontro nacional de literatura fantástica

Dia D de vacinação contra gripe em Cachoeiro é no sábado (12)

Inscrições no Enem já começaram

Inscrições para o Enem passam de 200 mil em uma hora e meia

São Pedro de Tarantásia, foi um homem pacificador

Diocese de Cachoeiro adota medidas para evitar contágio de gripes

Santa Casa lança campanha para incentivar mulheres a doar sangue

Estudantes são assaltadas na porta de faculdade em Cachoeiro

Homem é morto durante tentativa de assalto em Cachoeiro

Nasceu; e agora? Psicólogos explicam como lidar com a depressão pós-parto

Atenção, motoristas! IPVA de veículos com finais de placas de 6 a 0 começa a vencer

Prorrogado para 10 de maio prazo para renovar contratos do Fies

Campanha de vacinação em todo o país vai até 01 de junho

Conta de luz: Em maio bandeira tarifária mais cara

São Floriano, padroeiro dos bombeiros

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.