Associação dos Oficiais afirma que não planejou movimento dos familiares e se diz surpresa com multa

Major-rogerio-presidente-associacao-oficiais

O major e presidente da Associação dos Oficiais do Estado, Rogério Fernandes, destacou que o movimento realizado pelos familiares e simpatizantes da Polícia Militar do Espírito Santo não tem ligação com a associação. De acordo com ele, em entrevista ao jornal Espírito Santo no Ar, da TV Vitória, na manhã desta segunda-feira (6), mesmo não sendo organizado por eles, a associação se solidariza com o movimento.

“Essa manifestação não tem participação dos policiais e nem das associações. É uma manifestação organizada pelos familiares dos policiais militares. São esposas, filhos, irmãos, colegas, simpatizantes do movimento que entendem que a remuneração do policial capixaba é a pior remuneração do Estado Federado Brasileiro”, disse Fernandes.

Sobre a multa de R$ 100 mil para as associações, caso as manifestações continuem, o major afirmou que ainda não foram notificados sobre a decisão e estão aguardando para tomarem as providências. Segundo ele, o departamento jurídico já foi acionado.

“As associações, até agora, se surpreenderam com a declaração do secretário [de segurança, André Garcia] sobre uma notificação de uma multa aplicada, pois nenhuma de nós foi notificada. Não sabemos do teor disso e aguardaremos essa notificação. Já estamos demandando o nosso departamento jurídico. Não aceitaremos nenhuma decisão arbitrária contra as associações, pois esse movimento não é patrocinado pelas associações de militares”, explicou o major.

O presidente da Associação dos Oficiais também afirmou que o governo foi alertado sobre a situação e sobre a possibilidade de um movimento como esse. “A gente tem dito que quem tem fome tem pressa, e a associação de oficiais se solidariza, até por questões humanitárias, com essas manifestações. Queremos dizer que desde o ano de 2016, quando eu assumi a associação, nós estamos negociando com o governo questões que não geram repercussão financeira e até agora nada do que nós apresentamos, até projetos que reduziam custos, não fomos atendidos. É sempre um depois. Ressalto também que alertamos ao secretário de Segurança que esse movimento poderia acontecer, mas não fomos ouvidos”, destacou.



Publicidade


Outras Notícias


Novas suspeitas de obras superfaturadas em Presidente Kennedy

Santos Rodrigo e Salomão - Sacerdotes mártires

Veículo com marcas de tiros é encontrado abandonado em bairro de Cachoeiro

Soldados do Exército chegam à Cachoeiro e já atuam em pontos estratégicos

Sesa atualiza dados de febre amarela

ProUni: estudantes capixabas ganham mais prazo para apresentar documentos

Fespes vai denunciar Estado Brasileiro a entidades internacionais de direitos humanos pelo caos no ES

Procurador-geral da República vem ao Estado para dar aval à 'reforma da PM'

Governo abre processo contra 703 militares envolvidos em ‘revolta armada’

Famílias de militares seguem irredutíveis na porta dos batalhões

Nossa Senhora de Lourdes

São Miguel Febres - Padroeiro dos pedagogos

Atenção! Excesso de peso na mochila pode prejudicar saúde das crianças

Peritos aceleram liberação de cadáveres para receber mais corpos no DML

ARENA VERÃO 2017 COMEÇA NESTE FINAL DE SEMANA EM MARATAÍZES

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.