Associação dos Oficiais afirma que não planejou movimento dos familiares e se diz surpresa com multa

Major-rogerio-presidente-associacao-oficiais

O major e presidente da Associação dos Oficiais do Estado, Rogério Fernandes, destacou que o movimento realizado pelos familiares e simpatizantes da Polícia Militar do Espírito Santo não tem ligação com a associação. De acordo com ele, em entrevista ao jornal Espírito Santo no Ar, da TV Vitória, na manhã desta segunda-feira (6), mesmo não sendo organizado por eles, a associação se solidariza com o movimento.

“Essa manifestação não tem participação dos policiais e nem das associações. É uma manifestação organizada pelos familiares dos policiais militares. São esposas, filhos, irmãos, colegas, simpatizantes do movimento que entendem que a remuneração do policial capixaba é a pior remuneração do Estado Federado Brasileiro”, disse Fernandes.

Sobre a multa de R$ 100 mil para as associações, caso as manifestações continuem, o major afirmou que ainda não foram notificados sobre a decisão e estão aguardando para tomarem as providências. Segundo ele, o departamento jurídico já foi acionado.

“As associações, até agora, se surpreenderam com a declaração do secretário [de segurança, André Garcia] sobre uma notificação de uma multa aplicada, pois nenhuma de nós foi notificada. Não sabemos do teor disso e aguardaremos essa notificação. Já estamos demandando o nosso departamento jurídico. Não aceitaremos nenhuma decisão arbitrária contra as associações, pois esse movimento não é patrocinado pelas associações de militares”, explicou o major.

O presidente da Associação dos Oficiais também afirmou que o governo foi alertado sobre a situação e sobre a possibilidade de um movimento como esse. “A gente tem dito que quem tem fome tem pressa, e a associação de oficiais se solidariza, até por questões humanitárias, com essas manifestações. Queremos dizer que desde o ano de 2016, quando eu assumi a associação, nós estamos negociando com o governo questões que não geram repercussão financeira e até agora nada do que nós apresentamos, até projetos que reduziam custos, não fomos atendidos. É sempre um depois. Ressalto também que alertamos ao secretário de Segurança que esse movimento poderia acontecer, mas não fomos ouvidos”, destacou.



Publicidade


Outras Notícias


Espírito Santo enfrenta desafio de vencer transmissão vertical do HIV, da hepatite B e da sífilis

Leptospirose é doença grave e transmitida por água contaminada de enchentes

Publicado decreto que autoriza uso do FGTS para compra de próteses

Saiba mais sobre as vacinas contra a gripe disponíveis no Brasil

Santo Apolônio, seu amor a Deus foi concreto

Inscrições para Cachoeirense Ausente de 2018 abrem nesta sexta (23)

Desfile e mostra cultural festejam emancipação de Cachoeiro

“A defesa da água é a defesa da vida”, afirma Papa

São Zacarias, Papa

Mais de cinco mil assinaturas reivindicam asfalto em comunidades de Alegre

São Nicolau de Flue, eremita

Prefeitura de Cachoeiro tenta disciplinar trânsito em cruzamento

Pai é preso suspeito de estuprar a filha de 11 anos em Marataízes

PM encontra pé de maconha dentro de casa em Cachoeiro

Torta Capixaba Orgulho da Nossa Gastronomia

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.