Famílias de militares seguem irredutíveis na porta dos batalhões

Quartel

s familiares dos policiais militares que ocupam as portas dos batalhões se mostraram indignados com o acordo firmado entre o governo do Estado e as associações representativas na tentativa de pôr fim à paralisação. Os familiares dos policiais não consideram legítimas as negociações, que excluíram as mulheres dos militares, que haviam participado de todas as tratativas com o governo até agora.

As famílias permanecem nas portas dos batalhões e prometem continuar bloqueando a saída das viaturas. Os militares já falam, inclusive, em desfiliação em massa das associações, que haviam se retirado da mesa após a negociação com os familiares na madrugada desta sexta-feira (10) e retornaram na noite de hoje para selar um novo acordo com o governo “nas costas” à revelia dos familiares dos policiais.

A apresentação dos PMs às 7h da manhã deste sábado (11) é a condição prevista no primeiro item do acordo. “O movimento reivindicatório se encerra às 7h da manhã do dia 11/02/2017 com a desobstrução dos acessos às unidades da Polícia Militar e Bombeiros Militares, devendo todos os policiais e bombeiros militares retomarem suas atividades regulamentares normalmente em todas as unidades em todos o Estado do ES”.

As famílias, no entanto, se mostram irredutíveis e aguardam uma reunião com o procurador-geral da Republica, Rodrigo Janot, que chega ao Estado neste sábado (11) para tentar uma saída negociada para o conflito.

A única proposta concreta oriunda da negociação foi que os policiais e bombeiros militares que aceitarem a propostas não sofrerão punições administrativas, que são aquelas que mais facilmente levariam à expulsão da corporação. O acordo também não isenta os 703 policiais que estão sendo indiciados pelo crime de revolta, previsto no Código Militar.

O entanto, as tratativas fechadas no acordo não contemplaram, em momento algum, da recomposição salarial, O governo somente se compromete a fazer uma avaliação ao fim do primeiro quadrimestre de 2017, quando seriam apurados os resultados fiscais do Estado e apresentados aos policiais e outros categorias do funcionalismo, para dar prosseguimento às negociações, caso haja viabilidade financeira.



Publicidade


Outras Notícias


Novas suspeitas de obras superfaturadas em Presidente Kennedy

Santos Rodrigo e Salomão - Sacerdotes mártires

Veículo com marcas de tiros é encontrado abandonado em bairro de Cachoeiro

Soldados do Exército chegam à Cachoeiro e já atuam em pontos estratégicos

Sesa atualiza dados de febre amarela

ProUni: estudantes capixabas ganham mais prazo para apresentar documentos

Fespes vai denunciar Estado Brasileiro a entidades internacionais de direitos humanos pelo caos no ES

Procurador-geral da República vem ao Estado para dar aval à 'reforma da PM'

Governo abre processo contra 703 militares envolvidos em ‘revolta armada’

Famílias de militares seguem irredutíveis na porta dos batalhões

Nossa Senhora de Lourdes

São Miguel Febres - Padroeiro dos pedagogos

Atenção! Excesso de peso na mochila pode prejudicar saúde das crianças

Peritos aceleram liberação de cadáveres para receber mais corpos no DML

ARENA VERÃO 2017 COMEÇA NESTE FINAL DE SEMANA EM MARATAÍZES

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.