Santa Ema, sinal de que a santidade passa pela caridade

Santa-ema

Santa Ema, administrava seus bens para o beneficio do próximo

Por parte de mãe, não existia testemunho nem incentivo à santidade. O chamado que ela tinha no coração era ao matrimônio. Casou-se com o conde Ludgero e teve um filho, cujo chamado era para a vocação sacerdotal. Iluminado pelo testemunho da mãe, tornou-se sacerdote e depois bispo. Ao ficar viúva, essa santa discerniu e decidiu consagrar sua viuvez ao Senhor, numa vida de oração expressa na caridade. Muitos conventos e abadias foram construídos graças à sua generosidade. Ela vivia no meio da sociedade, administrando seus bens para o beneficio do próximo.

Santa Ema passou os últimos momentos de sua vida numa abadia, após 40 anos de dedicação a Deus, faleceu em 1045. Depois de muito tempo abriram seu túmulo, e encontraram o seu corpo todo em pó, exceto a sua mão direita estava intacta, pois era com essa mão que ela praticava a caridade ao próximo. Um sinal de que a santidade passa pela caridade.

Santa Ema, rogai por nós!



Outras Notícias


COMEÇA NESTA QUINTA-FEIRA (18) O 8º CELEBRAI FESTIVAL DE MARATAÍZES

MEC antecipa data do Sisu; inscrições começam dia 23

Em 10 anos, população carcerária cresceu 274% no Espírito Santo

Em saudação final ao Chile, Papa faz votos de paz para o país

Santa Margarida da Hungria, exemplo de vida comunitária

Bartucada é uma das atrações do carnaval de Cachoeiro

Santo Antão, exemplo de castidade, de obediência e pobreza

AULAS DE CAPOEIRA DE GRAÇA EM CACHOEIRO-ES

Pai é linchado e preso após estuprar a filha de apenas 1 ano em Cachoeiro

Espírito Santo será sede de feira internacional de inovação agrícola e pecuária

Mais de 14% da população capixaba ainda não foi imunizada contra febre amarela

Começam atendimentos às comunidades do Espírito Santo que impactadas com a lama da Samarco

Alterações hormonais da gravidez afetam a pele e os cabelos

Sedu abre seleção para professores atuarem em cursos técnicos

São Berardo e companheiros mártires

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.