Reconstrução mamária é alento para mulheres que tiveram câncer de mama

Mama-16049

A reconstrução da mama é um procedimento física e emocionalmente gratificante para uma mulher que perdeu a mama devido ao câncer ou a outra situação. De acordo com o cirurgião plástico Humberto Pinto, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, em 90% dos casos é possível que a reconstrução seja feita na mesma cirurgia que a retirada das mamas, mas muitas vezes, é preciso mais de uma cirurgia para a completa reconstrução dos seios.

“Geralmente é necessário mais de um tempo cirúrgico para a realização da reconstrução mamária. A primeira etapa cirúrgica é de proporções maiores, sendo feitas depois uma ou duas etapas menores. Tudo vai depender da quantidade de mama que foi retirada”, explica o médico.

O cirurgião plástico destaca também que a primeira coisa que a mulher precisa ter em mente é que a mama reconstruída nunca será igual a mama que foi removida. “A cirurgia oferece uma mama relativamente natural, mas as cicatrizes estarão presentes na mama e no local doador de tecido, caso isso seja necessário”, diz Humberto Pinto.

A reconstrução

As principais técnicas para a reconstrução mamária utilizam implantes ou os tecidos retirados. A reconstrução com implante é indicada em casos em que não foi necessária a retirada de muita pele para remover o tumor. Caso a mama não tenha tecido suficiente para receber o implante é utilizado um expansor que mais tarde será substituído pela prótese.

“Já a reconstrução mamária com tecidos do próprio corpo retira músculos e gordura de locais como abdômen, costas e nádegas e é indicada para mulheres que não podem fazer a expansão das mamas. A reconstrução é finalizada através de uma variedade de técnicas para reconstruir o mamilo e a auréola”, explica o cirurgião plástico.

Segundo Humberto Pinto, a recuperação da cirurgia é parecida com a de uma mastoplastia redutora. Em alguns casos é necessário o uso de drenos por um período de três a cinco dias. Normalmente após um período de três a seis meses são realizados os tempos subsequentes. Pacientes com condições clínicas e nutricionais debilitadas e tumores em estágios mais avançados só devem realizar a reconstrução mamária após a melhora desses aspectos.



Outras Notícias


Unidades de saúde estendem horário de atendimento

Médicos alertam sobre superbactéria transmitida sexualmente

Mulher é baleada na cabeça e abdômen

Morador de Itapemirim encontra corpo em rio

Adolescente de 16 anos é detido com drogas e arma em Cachoeiro

Saiba como pedir aposentadoria por idade pela internet ou telefone

Bolsa Família começa a pagar benefício com reajuste

Pagamento da primeira parcela do 13º de aposentados começa em agosto

Brasil tem 677 casos de sarampo confirmados, diz Ministério da Saúde

São Símaco era conciliador, homem de justiça e sinal de paz

Santo Henrique e Santa Cunegundes

Mulher é presa transportando droga nas partes íntimas em Vargem Alta

Câmara aprova gratuidade na conta de luz para famílias de baixa renda

Veículo precisa de autorização do Detran para usar gás. Saiba quais cuidados tomar!

Homem suspeito de matar a esposa é preso em Atílio Vivácqua

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.