Torta Capixaba Orgulho da Nossa Gastronomia

Receita-de-torta-capixaba-1200x800

A Semana Santa é época de celebrar a Paixão, a Morte e a Ressurreição de Jesus Cristo e na Sexta-feira Santa por tradição religiosa não se deve consumir carne, daí vem o costume de preparar a Torta Capixaba, essa receita deliciosa e super reconhecida da nossa culinária.
Esse é um prato tão presente na história do Espírito Santo que até Pero Vaz de Caminha comentou nas cartas sobre o hábito dos índios de comerem uma mistura de frutos do mar com palmito. Segundo o historiador Adilson Vilaça, a mistura indígena não era a torta como conhecemos agora, mas com certeza foi o que podemos chamar de “tataravô” da atual.

A receita mesmo sendo tradicional tem diversas variações, até mesmo porque são diversos ingredientes utilizados na elaboração da torta, peixe, mariscos, palmito, azeitona, tomate, cebola, alho, coentro, ovo e bacalhau.

Conforme descreve o historiador Cacau Monjardim “A receita é fruto da influência indígena e da larga fertilidade do nosso litoral, que permitia ter acesso fácil a peixes e a mariscos e se aliava as condições do próprio negócio agrícola onde eram importantes o palmito, o urucum, a cebola e o coentro e todas as demais coisas. Nós como grandes produtores hoje, inclusive, de ovos e galinhas temos o ovo como uma coisa importante da torta capixaba. Mas os índios já faziam a torta e com o passar do tempo ela foi ganhando a expressão capixaba”, explica ele.

Inicialmente o bacalhau não era usado na torta. “A verdadeira torta capixaba não leva bacalhau. Não condeno quem coloca bacalhau hoje porque é uma questão de gosto, mas o bacalhau passou a ser usado porque da influência dos portugueses que vieram para cá participar da colonização e trouxeram o bacalhau para fazer as bacalhoadas. Os donos da terra acabaram se habituando a ter o bacalhau porque o pescado ficava muito caro naquela época e o bacalhau veio cumprir o papel de parceiro de alguns pratos nossos. Ele é sem dúvida alguma um grande produto, mas não é fundamental estar presente na torta. O bacalhau pode estar na torta porque não compromete em nada, mas digamos que é uma torta genérica”.

Os registros mostram que somente por volta do século IX que a torta como conhecemos começa a tomar forma. Os portugueses já tinham o hábito de comer frutos do mar e com a forte influência que a igreja católica possuía sobre o povo lusitano, o hábito de não comer carne na Semana Santa era seguido à risca. Foi nessa época que os portugueses tiveram a ideia de acrescentar na panela de barro o marisco e o bacalhau naquela mistura feita pelos índios.

Como a grande maioria das famílias capixabas preservavam a tradição do preparo da torta, tinha-se o costume de trocar pedaços de torta com os familiares e vizinhos, claro que isso sempre proporcionava uma competição saudável e super saborosa.

Já tive o prazer de ensinar essa receita em diversos lugares por esse Brasil e no exterior, mas um dos momentos mais especiais pra mim foi quando estive no Congresso Internacional de Gastronomia Mesa São Paulo, ali tive a oportunidade de mostrar as receitas capixabas para chefs de cozinha, jornalistas e críticos de diversas partes do mundo, sem dúvida um momento inesquecível e não poderia deixar de registrar nesse post.
Tem gente que gosta dela mais sequinha, outros gostam da torta um pouco mais úmida, mas a verdade é que torta capixaba é boa de qualquer jeito.

Claro que nem todo mundo tem condições para prepará-la com todos os ingredientes da receita tradicional e por isso te apresento aqui duas versões, uma clássica e uma bem mais barata.

Avalie o seu bolso, faça sua escolha, mas não deixe de ir para cozinha e preparar essa receita capixaba e desfrutar bons momentos em família.

Receita Tradicional da Torta Capixaba

Serve 06 pessoas

Ingredientes

150g de tomate picado com pele e sem semente

90g Cebola picada

30g de Alho picado

50ml de Azeite

30g de Azeitona verde inteira

30ml de Suco de limão

30g de Coentro picado

30g de Cebolinha verde picada

160g de Palmito picado

100g de Siri desfiado

100g de Caranguejo desfiado

100g de Camarão sete barbas

100g de Ostra

100g de Sururu

100g de Bacalhau desfiado

3 ovos

Óleo de urucum

Sal e pimenta do reino a gosto

Modo de fazer

Faça uma moqueca do siri e caranguejo juntos e de camarão separadamente, retirando todo o caldo, deixando o mais seco possível.
Prepare um refogado com azeite, cebola, alho e leve ao fogo com o palmito e espere até ganhar consistência.
Refogue o bacalhau em azeite e alho, e reserve.
Junte depois todas as moquecas, o palmito, mais o sururu e a ostra que devem ser escaldados previamente, mexendo todo o preparo até evaporar toda a água. Retire para esfriar e misture uma parte das claras em neve com as gemas.
Coloque a massa em uma panela de barro e leve ao forno por 30 minutos, até secar bem a torta. Retire e coloque o restante das claras em neve batidas com as gemas por cima. Para finalizar, coloque as azeitonas e a cebola em rodelas. Deixe assar até dourar. Sirva com arroz branco.
Essa receita é preparada anualmente nos supermercados Carone sob a supervisão da minha amiga Chef Arlete, a você essa justa homenagem.

E para você que quer economizar segue a versão mais barata e também super saborosa para você não deixar essa tradição de lado.

Torta Capixaba de Sardinha e Repolho

Ingredientes

1 repolho médio
2 latas de sardinha
1 cebola média
1/2 copo de azeite
1 dente de alho
1 colher de colorau
1/2 copo de azeitona
cheiro verde
sal
pimenta-do-reino
3 ovos
Modo de preparo:

Em um panela coloque o azeite e a cebola para dourar
Adicione o colorau e o alho
Acrescente o repolho bem picadinho deixe cozinhar um pouco, coloque a sardinha, a azeitona o cheiro verde,sal e pimenta a gosto
Deixe cozinhar um pouco
Coloque a mistura num refratário, bata as claras em neve adicione as gemas, enfeite com rodelas de cebola e azeitonas
Leve para assar por aproximadamente 25 minutos ou até dourar



Publicidade


Outras Notícias


Espírito Santo enfrenta desafio de vencer transmissão vertical do HIV, da hepatite B e da sífilis

Leptospirose é doença grave e transmitida por água contaminada de enchentes

Publicado decreto que autoriza uso do FGTS para compra de próteses

Saiba mais sobre as vacinas contra a gripe disponíveis no Brasil

Santo Apolônio, seu amor a Deus foi concreto

Inscrições para Cachoeirense Ausente de 2018 abrem nesta sexta (23)

Desfile e mostra cultural festejam emancipação de Cachoeiro

“A defesa da água é a defesa da vida”, afirma Papa

São Zacarias, Papa

Mais de cinco mil assinaturas reivindicam asfalto em comunidades de Alegre

São Nicolau de Flue, eremita

Prefeitura de Cachoeiro tenta disciplinar trânsito em cruzamento

Pai é preso suspeito de estuprar a filha de 11 anos em Marataízes

PM encontra pé de maconha dentro de casa em Cachoeiro

Torta Capixaba Orgulho da Nossa Gastronomia

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.