Aumenta o número de brasileiros que admitem dirigir embriagados

4b9c63f0-4ad2-0136-191c-6231c35b6685--minified

Aumenta o número de brasileiros que admite dirigir após consumir bebidas alcoólicas, segundo pesquisa Vigitel (Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico), divulgada pelo Ministério da Saúde na última sexta-feira (1º).

O estudo mostrou que 6,7% dos brasileiros afirmam manter este hábito, considerado ilegal no país.

Os homens admitem mais o comportamento do que as mulheres: 11,7% e 2,5%, respectivamente.

A pesquisa entrevistou mais de 53 mil pessoas acima de 18 anos, nas 26 capitais e o Distrito Federal, por telefone entre fevereiro e dezembro de 2017.

Com base nas entrevistas, a pesquisa concluiu que a frequência das pessoas que dirigem embrigadas aumentou 16% em dez anos — entre 2011 e 2017, segundo divulgado pelo Ministério da Saúde.

O estudo mostrou que a capital onde as pessoas mais admitem que dirigem bêbadas é Palmas (16,1%). Por outro lado, onde elas menos admitem é Recife (2,9%). O índice em São Paulo foi de 6,7%.

A maior prevalência em quem o motorista assume a imprudência foi observada entre a faixa etária de 25 a 34 anos (10,8%) e pessoas com ensino médio completo (11,2%).

Consumo excessivo de álcool cresce entre mulheres

Em relação ao abuso de ingestão de bebidas alcoólicas, houve um aumento de 11,5% entre 2006 (para 15,7% do total) e 2017 (para 19,1% do total), segundo o estudo. Para os pesquisadores, foi considerado consumo excessivo de álcool a ingestão de quatro ou mais doses de bebidas alcoólicas para mulheres e cinco ou mais doses para homens, em uma mesma ocasião, dentro dos últimos 30 dias.

De acordo com a pesquisa, o crescimento do consumo excessivo de álcool foi observado em todos os estratos, com exceção da faixa etária de jovens adultos, entre 18 e 24 anos, que se manteve estável de 2006 a 2017. Entre os níveis de escolaridade, só houve aumento entre os que concluíram o ensino médio, entre os demais, também se manteve estável.

O Distrito Federal lidera o consumo excessivo de álcool (25,7%) e Manaus apresenta a menor taxa (13,7%). Os homens se mantêm prevalentes (27,1%) em comparação às mulheres (12,2%), mas o consumo entre as mulheres subiu de 7,8% em 2006 para 12,2% em 2017.

De acordo com os Dados do Sistema de Informações de Mortalidade (SIM), mais de 32 mil pessoas morreram em decorrência de acidentes de trânsito no último ano, uma queda de 13% em relação a 2016.



Outras Notícias


Criança cai de altura de oito metros ao tentar pegar pipa em Cachoeiro

Estudante é espancada e esfaqueada por casal na porta de escola em Guaçuí

Agricultor dado como morto em Colatina 'reaparece' em Minas Gerais

Estado continua registrando novos casos de malária

Educação: 120 vagas abertas para cursos gratuitos de Libras

Prefeitura inicia instalação de 20 academias populares em Cachoeiro

Com regras rígidas e claras, começa propaganda eleitoral

Doze motivos para não perder o Encontro Nacional de Folia de Reis em Muqui

Santo Estevão da Hungria, devoto de Nossa Senhora

Ifes Cachoeiro seleciona para pós gratuita em rochas

Iases abre processo seletivo para contratar temporários

Conta de luz mais cara no Espírito Santo

Sobe para 80 o número de casos confirmados de malária no ES

Caminhão desgovernado invade casa em Cachoeiro de Itapemirim

Cotistas de todas idades já podem sacar PIS/Pasep

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.