Aumenta o número de brasileiros que admitem dirigir embriagados

4b9c63f0-4ad2-0136-191c-6231c35b6685--minified

Aumenta o número de brasileiros que admite dirigir após consumir bebidas alcoólicas, segundo pesquisa Vigitel (Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico), divulgada pelo Ministério da Saúde na última sexta-feira (1º).

O estudo mostrou que 6,7% dos brasileiros afirmam manter este hábito, considerado ilegal no país.

Os homens admitem mais o comportamento do que as mulheres: 11,7% e 2,5%, respectivamente.

A pesquisa entrevistou mais de 53 mil pessoas acima de 18 anos, nas 26 capitais e o Distrito Federal, por telefone entre fevereiro e dezembro de 2017.

Com base nas entrevistas, a pesquisa concluiu que a frequência das pessoas que dirigem embrigadas aumentou 16% em dez anos — entre 2011 e 2017, segundo divulgado pelo Ministério da Saúde.

O estudo mostrou que a capital onde as pessoas mais admitem que dirigem bêbadas é Palmas (16,1%). Por outro lado, onde elas menos admitem é Recife (2,9%). O índice em São Paulo foi de 6,7%.

A maior prevalência em quem o motorista assume a imprudência foi observada entre a faixa etária de 25 a 34 anos (10,8%) e pessoas com ensino médio completo (11,2%).

Consumo excessivo de álcool cresce entre mulheres

Em relação ao abuso de ingestão de bebidas alcoólicas, houve um aumento de 11,5% entre 2006 (para 15,7% do total) e 2017 (para 19,1% do total), segundo o estudo. Para os pesquisadores, foi considerado consumo excessivo de álcool a ingestão de quatro ou mais doses de bebidas alcoólicas para mulheres e cinco ou mais doses para homens, em uma mesma ocasião, dentro dos últimos 30 dias.

De acordo com a pesquisa, o crescimento do consumo excessivo de álcool foi observado em todos os estratos, com exceção da faixa etária de jovens adultos, entre 18 e 24 anos, que se manteve estável de 2006 a 2017. Entre os níveis de escolaridade, só houve aumento entre os que concluíram o ensino médio, entre os demais, também se manteve estável.

O Distrito Federal lidera o consumo excessivo de álcool (25,7%) e Manaus apresenta a menor taxa (13,7%). Os homens se mantêm prevalentes (27,1%) em comparação às mulheres (12,2%), mas o consumo entre as mulheres subiu de 7,8% em 2006 para 12,2% em 2017.

De acordo com os Dados do Sistema de Informações de Mortalidade (SIM), mais de 32 mil pessoas morreram em decorrência de acidentes de trânsito no último ano, uma queda de 13% em relação a 2016.



Outras Notícias


Comércio de Cachoeiro-ES define o horário de Natal

Dona de casa tem 65% do corpo queimado em Cachoeiro

Uso de canudos plásticos é proibido em todo o Espírito Santo

Justiça do Trabalho de Cachoeiro de Itapemirim e Venda Nova do Imigrante levam a leilão bens da Cimento Nassau

Reunião define investimento para construção do Parque da Ilha da Luz

MPF quer que estudantes possam recorrer das notas do Enem

1.073 novas vagas para cursos técnicos

Detran|ES começa a implantar placa modelo Mercosul na segunda-feira (10)

São Nicolau - Sagrado Bispo de Mira

Mar avança sobre a orla e povo protesta por solução

HECI celebra o Dezembro Laranja

Acidente mata motociclista em Alegre-ES

Veículo, uma Hilux, estava na casa do motorista de Casagrande, no Ibes. Ele chegou a ser amarrado junto com a esposa

Polícia Civil alerta para golpes em sites de anúncios ocorridos em Cachoeiro

Transplante de órgãos: mais de 300 vidas já receberam um sim no ES

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.