Advogado cachoeirense é desautorizado a falar em nome da Vale

9-sergio-bermudes-630x540

A Vale emitiu nota na tarde desta segunda (28) afirmando que “terceiros”, mesmo que sejam advogados contratados, não estão autorizados a falar em nome da empresa.

A decisão ocorre após o advogado Sergio Bermudes (um dos principais defensores contratados pela Vale) ter dito à colunista Mônica Bergamo, da Folha de São Paulo, que a Vale não tem responsabilidade provada no desastre em Brumadinho e que, por isso, a diretoria se recusa a pedir o afastamento, como foi sugerido por Renan Calheiros na noite de domingo (27).

Sérgio Bermudes é de Cachoeiro de Itapemirim e um dos advogados mais bem conceituados do Brasil, com escritórios em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

Em nota, a Vale disse que “permanecerá contribuindo com todas as investigações para a apuração dos fatos e que esse é o foco de sua diretoria, juntamente com o apoio às famílias atingidas.”.

“A Vale esclarece que não autorizou nem autoriza terceiros, inclusive advogados contratados, a falar em seu nome, afirmou, após a repercussão da declaração de Bermudes.

Quem é Sergio Bermudes

SERGIO BERMUDES é natural de Cachoeiro de Itapemirim, onde nasceu e iniciou os cursos elementar, ginasial e colegial, vindo a concluir este último na Washington High School, em Cherokee, Iowa, Estados Unidos.

Bacharelou-se em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade do Estado da Guanabara, no ano de 1969 e concluiu o curso de doutoramento em História do Processo Romano, Canônico e Lusitano, na faculdade de Direito da Universidade de São Paulo.

Em 1970, Sergio Bermudes deu início à sua carreira docente, no magistério universitário, como Professor Assistente de Teoria Geral do Estado da Faculdade de Direito da Universidade do Estado da Guanabara e como professor regente da cadeira de Direito Processual Civil da Faculdade Brasileira de Ciências Jurídicas do Rio de Janeiro, da qual se tornou titular, aprovado pelo Conselho Federal de Educação, em 1971. Em 1978, assumiu a cadeira de Direito Processual Civil da Faculdade de Direito da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, integrando atualmente, o Conselho de Desenvolvimento dessa Universidade.

Inscrito na Ordem dos Advogados do Brasil, nas Seções do Estado do Rio de Janeiro, Estado de São Paulo e do Distrito Federal, Sergio Bermudes é Membro do Instituto dos Advogados Brasileiros; da Associação Internacional de Direito Processual; do Instituto Ibero-americano de Direito Processual; da International Academy of Trial Lawyers.

Nos últimos 20 anos, integrou inúmeras bancas de concursos para ingresso na magistratura; na Procuradoria do Estado do Rio de Janeiro; na Procuradoria do Município do Rio de Janeiro e em outros cargos públicos, bem como realizou mais de 200 conferências em praticamente todas as faculdades de direito do Brasil; em seções da Ordem dos Advogados, em congressos e seminários e em outros eventos jurídicos, no país e no exterior. Por nomeação do Governo da República, em 1985, integrou a comissão de cinco processualistas designada para proceder à revisão do Código de Processo Civil.

Exerceu, por dois anos, o cargo de Juiz do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro.

Além de inúmeros ensaios, artigos e pareceres, publicados nas revistas especializadas, sobre direito processual civil, direito civil, direito constitucional, direito comercial, direito administrativo, Sergio Bermudes é responsável pela atualização da coletânea de 18 volumes dos Comentários ao Código de processo Civil de Pontes de Miranda, publicados pela Editora Forense, Rio, a partir de 1996, já no tomo XI, bem como autor de sete livros:

“Curso de Direito Processual Civil – Recursos”, Borsoi, Rio, 1972;
“Comentários ao Código de Processo Civil”, vol. VII, Ed. Revista dos Tribunais, S.Paulo, 1975 e 1977;
“Iniciação ao Estudo do Direito Processual Civil”, Líber Júris, Rio, 1974;
“Direito Processual Civil – Estudos e Pareceres”, Saraiva, S.Paulo, 1983;
“Direito Processual Civil – estudos e Pareceres”, 2ª Série, Saraiva, S.Paulo, 1994;
“Introdução ao Processo Civil”, Forense, Rio, 1995 e 1996; e
“A Reforma do Código de Processo Civil”, Freitas Bastos, Rio, 1995, e Saraiva, S. Paulo 1996.

Inscrito na Ordem dos Advogados do Brasil, Seções dos Estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Distrito Federal, Espírito Santo e Rio Grande do Sul, sob os nºs 17.587, 33.031-A, 2.192-A, 10.039 e 64.236-A, respectivamente.



Outras Notícias


Governo quer salário mínimo de R$ 1.040 para 2020

Senai Cachoeiro lança primeira turma do Curso de Qualificação Confeiteiro

Benefícios do chocolate: como aproveitar a Páscoa sem pagar o alto preço das contraindicações

Brasil é vice campeão mundial em cirurgias cesáreas

Mulher é morta em distrito de Alegre com pedra de 20 quilos na cabeça

Obras em trecho da rodovia do Valão são retomadas

Operação Quimera efetua prisões e afasta secretários em Vargem Alta

Justiça do ES não cumpre leis de prisão domiciliar para presas com filhos

São Crescente, foi martirizado por não negar a Jesus Cristo

Espetáculo da Paixão de Cristo terá duas apresentações em Jaciguá

Defensoria denuncia racionamento de água em presídio de Cachoeiro

Ministério registra aumento do consumo e produção de orgânicos no Brasil

Santo Isidoro, buscava a salvação das almas

Hospital do ES é condenado por dar falso diagnóstico de HIV

CNC projeta alta de 1,5% para as vendas da Páscoa contra 2% de 2018

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.