Trabalhador levará 40 anos para chegar a 100% do benefício, diz ministério

Economia-previdencia-social-inss-20170317-001

O Ministério da Economia confirmou nesta quarta-feira, 20, que os brasileiros que ganham acima de um salário mínimo precisarão contribuir por 40 anos para conseguir se aposentar com 100% do salário de contribuição (cujo teto hoje é de R$ 5,839 mil). A regra havia sido adiantada pelo Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) ainda no dia 4 de fevereiro, por meio da minuta da proposta.

Para quem ganha o piso, nada muda, uma vez que o texto proíbe o pagamento de qualquer aposentadoria abaixo de um salário mínimo. Mesmo assim, essa regra deve ser um dos focos de resistência dos parlamentares durante a tramitação no Congresso Nacional.

O ministério também confirmou que os segurados que ganham mais de um salário mínimo vão ter direito a 60% do benefício ao completar 20 anos de contribuição – que passaria a ser o tempo mínimo de contribuição, hoje em 15 anos. A cada ano adicional, são conquistados mais 2 pontos porcentuais. Por exemplo, quem conseguir ficar 35 anos recolhendo para a Previdência vai receber 90% do salário de contribuição.

A regra vale tanto para o INSS quanto para o regime dos servidores públicos, embora o tempo mínimo de contribuição a ser exigido seja diferente. Enquanto no INSS será de 20 anos, para o funcionalismo seria de 25 anos. Para professores, que, pela proposta, seriam contemplados com idade mínima menor (60 anos), a exigência seria de 30 anos de contribuição.

Fonte: O Estadão



Outras Notícias


São Zacarias, Papa

Família doa órgãos de paciente com morte encefálica e salva a vida de sete pessoas

ExpoSul Rural 2019: inscrições abertas para talk show sobre agroindústrias

Assaltos em bancos causam insegurança nos cachoeirenses

Aos 98 anos, Mercado Municipal será revitalizado

Saiba como se prevenir contra as alergias de outono

Consumidores devem ter cuidado na hora de comprar produtos de Páscoa

Crianças com Down dão show de amor e respeito às diferenças

Perda de status de país livre de sarampo é retrocesso, diz pediatra

São Nicolau de Flue, eremita

Aeroporto de Vitória é vendido a empresa suíça por R$ 437 milhões

São Cirilo de Jerusalém, sacerdote e bispo

São Patrício, sacerdote missionário

Idosa é atropelada em cima da faixa de pedestre em Cachoeiro

Bolsonaro anuncia o fim de radares nas rodovias federais

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.