CNC projeta alta de 1,5% para as vendas da Páscoa contra 2% de 2018

Ovos-vendas

A Páscoa terá, este ano, a terceira alta consecutiva nas vendas do varejo, segundo pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

O aumento previsto é de 1,5% em relação ao ano passado, quando o faturamento cresceu 2%. As vendas devem atingir R$ 2,4 bilhões em todo o país.

O economista-chefe da CNC, Fabio Bentes, disse que a expectativa para a data está condizente com o nível de atividade atual da economia, “com o nível de consumo e com desemprego ainda alto”.

Observou que essa data, que costuma impulsionar o crescimento das vendas do comércio, este ano vai dar um “empurrãozinho muito pequeno, porque o nível de desemprego ainda está muito alto”.

Outro fator que atrapalha as vendas da Semana Santa deste ano é a alta do dólar nos últimos meses. Com isso, produtos como ovos de Páscoa e chocolates em geral, azeite e pescado, ao contrário do ano passado, este ano mostram preços mais salgados, devido ao dólar. “Isso tende a atrapalhar um pouco as vendas da Páscoa”, disse Bentes.

O fator principal para o economista-chefe da CNC, entretanto, é a dificuldade de retomar a capacidade de consumo no ambiente de desemprego alto.

“Acho que isso está por trás desse número decepcionante das vendas de Páscoa”. O aumento de 1,5% projetado para o faturamento do varejo na Semana Santa está bem distante da alta de 9,5% registrada em 2010. O economista lembrou que esse foi um outro momento da economia, quando o Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos no país) evoluiu 7,5%.

Temporários

Bentes destacou que a expectativa de crescimento do PIB este ano está em torno de 2% e tende a dar o ritmo da economia. “Com o mercado de trabalho fraco do jeito que está, o comércio paga a conta nas datas comemorativas, através de altas bem modestas no faturamento real. E isso acaba atrapalhando até a expectativa de contratação de temporários”, afirmou.

A pesquisa da CNC projeta contratação de 10,7 mil trabalhadores temporários na Páscoa em todo o país, abaixo do número do ano passado (10,8 mil), devido ao ambiente incerto na economia, que acaba fazendo com que o varejista invista pouco em contratações este ano.

O salário médio de admissão no varejo deverá ser de R$ 1.267, alta de 5,9% em comparação à Páscoa de 2018.

O economista explicou que, historicamente, cerca de 12% dos trabalhadores temporários acabam efetivados depois da Páscoa em hipermercados e lojas especializadas.

Em termos de vendas, a Páscoa é a quinta data comemorativa do varejo nacional e uma das mais afetadas pela variação do câmbio. As outras são o Natal, Dia das Mães, Dia dos Namorados e Dia das Crianças.

  • Com informações da Agência Brasil.



Outras Notícias


Entenda as principais mudanças da MP da Liberdade Econômica

Assunção de Nossa Senhora

Campanha vai coletar pilhas e baterias de celular usadas

Homens inférteis também podem ter filhos. Saiba como!

Polícia Militar apreende drogas, recupera motocicleta e detém homem com mandado de prisão em Cachoeiro

Ministério confirma 1.226 casos de sarampo no Brasil

Manifestantes se concentram em frente ao teatro da Ufes para ato público contra cortes na educação

Inteligência Artificial vai ajudar Governo a combater fraudes no Detran

Prefeitura consegue que Justiça reautorize Festa de Alegre

Incaper receberá um milhão de investimentos em infraestrutura até 2023

Espírito Santo confirma primeiro caso de sarampo em Cariacica

Santos Ponciano e Hipólito

Cachoeiro-ES terá recadastramento biométrico neste mês

Obesidade avança e mata 4 milhões de pessoas no mundo, diz relatório da ONU

Saque do FGTS começa em setembro para poupadores da Caixa; veja calendário

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.