Professora questiona deputados sobre 'fatalidade' na educação precária (veja o vídeo)

A fala da professora Amanda Gurgel, do Rio Grande do Norte, durante a Audiência Pública sobre o cenário atual da educação no estado foi aplaudida pela plateia e deixou deputados em silêncio.

A professora começou falando sobre o baixo salário: “Como as pessoas apresentam muitos números, e como sempre colocam ‘os números são irrefutáveis’, eu gostaria também de apresentar um número para iniciar a minha fala. Que é um número composto por três algarismos apenas, bem diferente dos outros números que são apresentados aqui com tantos algarismos, que é o número do meu salário. Um 9, um 3 e um 0 (R$ 930). Meu salário base”.

Em seguida, Amanda questiona os deputados se eles teriam condições de sobreviver e manter padrão de vida com o salário que ela ganha. “Certamente, esse salário não é suficiente nem para pagar a indumentária que os senhores e as senhoras utilizam para poder frequentar esta casa aqui”, afirmou. Além disso, a professora pergunta: “Estamos aceitando a condição precária da educação como uma fatalidade?”



Publicidade


Outras Notícias


Espírito Santo enfrenta desafio de vencer transmissão vertical do HIV, da hepatite B e da sífilis

Leptospirose é doença grave e transmitida por água contaminada de enchentes

Publicado decreto que autoriza uso do FGTS para compra de próteses

Saiba mais sobre as vacinas contra a gripe disponíveis no Brasil

Santo Apolônio, seu amor a Deus foi concreto

Inscrições para Cachoeirense Ausente de 2018 abrem nesta sexta (23)

Desfile e mostra cultural festejam emancipação de Cachoeiro

“A defesa da água é a defesa da vida”, afirma Papa

São Zacarias, Papa

Mais de cinco mil assinaturas reivindicam asfalto em comunidades de Alegre

São Nicolau de Flue, eremita

Prefeitura de Cachoeiro tenta disciplinar trânsito em cruzamento

Pai é preso suspeito de estuprar a filha de 11 anos em Marataízes

PM encontra pé de maconha dentro de casa em Cachoeiro

Torta Capixaba Orgulho da Nossa Gastronomia

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.